Prolongamento
Liga espanhola não encontrou "nenhuma evidência" de insulto racista a Diakhaby
Redação
2021-04-09 10:55:00
"Examinados ficheiros audiovisuais e digitais, áudios, imagens veiculadas e o que foi divulgado nas redes sociais"

A Liga Espanhola não encontrou “em nenhum dos meios de comunicação disponíveis” qualquer indício de que o jogador de Cádiz Juan Cala tenha proferido insultos racistas contra Mouctar Diakhaby, do Valência, informou hoje o organismo.

“Após a análise dos elementos, conclui-se que não foi encontrada nenhuma evidência em nenhum dos suportes disponíveis na LaLiga de que o jogador Juan Torres Ruiz [Juan Cala] tenha insultado Mouctar Diakhaby nos termos denunciados”, refere, em comunicado.

A Liga espanhola explicou que “foram examinados os ficheiros audiovisuais e digitais disponíveis, analisados os áudios do encontro, as imagens veiculadas e o que foi divulgado nas diferentes redes sociais”.

“Para complementar o relatório, foi contratada uma empresa especializada, que realizou uma análise labial das conversas e um estudo do comportamento dos jogadores Juan Torres Ruiz [Juan Cala] e Mouctar Diakhaby”, refere o organismo.

Na nota, a Liga “reitera a sua condenação ao racismo em todas as suas formas e mantém o compromisso de lutar permanentemente contra qualquer tipo de manifestação a este respeito, que se materializou na apresentação de inúmeras denúncias de crimes de ódio, inclusive com ação penal, em processos anteriores”.

Decorria o minuto 29 do encontro de domingo no Estádio Ramón de Carranza, quando, na sequência de um livre a favor do Cádiz, Cala e Diakhaby trocaram argumentos dentro da área valenciana, levando, posteriormente, o central francês a percorrer meio-campo para interpelar o adversário.

Depois de os jogadores das duas equipas terem separado Cala e Diakhaby, o francês foi admoestado com um cartão amarelo e esteve alguns segundos a explicar ao árbitro que tinha sido alvo de um insulto racista, antes de se retirar de campo, acompanhado por todos os jogadores ‘che’, entre os quais os portugueses Thierry Correia e Gonçalo Guedes.

A equipa do Cádiz também seguiu o caminho dos balneários e o encontro esteve interrompido cerca de 25 minutos. Embora o Valência tenha regressado ao relvado para retomar o jogo, fê-lo já sem Diakhaby, que foi substituído por Hugo Guillamon.

O Cádiz venceu a partida por 2-1, tendo Juan Cala, que negou posteriormente as acusações de Diakhaby, marcado o primeiro golo dos andaluzes.