Grande Futebol
"Estou à disposição da direção. Não estou para criar problemas", diz Villas-Boas
Redação
2021-01-21 10:45:00
Treinador na 'corda bamba'

André Villas-Boas está 'na corda bamba' no Marselha e os maus resultados podem ditar a saída do técnico português do comando técnico do conjunto francês.

O conjunto do Vélodrome somou na quarta-feira o terceiro jogo seguido sem vencer na Liga francesa, ao perder por 1-0 na receção ao Lens, em jogo em atraso da nona jornada.

A formação comandada por Villas-Boas, que há cerca de um mês estava a dois pontos da liderança, está agora a 10 dos ‘comandantes’ Paris Saint-Germain e Lille, ambos com 42.

Por isso, o treinador português admite que o fim de linha no Marselha poderá ter chegado e coloca nas mãos da direção a eventual decisão de seguirem caminhos diferentes.

"Relativamente à minha situação, estou à disposição da direção. Não estou aqui para lhes criar problemas", admitiu André Villas-Boas, destacando que está disponível para deixar o Vélodrome.

"Se decidirem que não estou à altura ao nível dos resultados, será hora de ir embora", acrescentou André Villas-Boas, insistindo que se os responsáveis entenderem que é preciso 'mexer' com o grupo de trabalho de alguma maneira, poderá deixar o clube.

"Se houver necessidade de mudança, estou à disposição", insistiu o técnico português, destacando que frente ao Lens "os rapazes deram tudo" para tentar vencer, coisa que voltou a não acontecer.

Há menos de um mês, Pablo Longoria, o diretor desportivo do Marselha, assumiu que a “prioridade” do clube francês era a renovação com o treinador André Villas-Boas.

Nos últimos tempos, a vida de André Villas-Boas tem sido complicada não apenas a nível dos resultados desportivos. Recentemente, recorde-se, os jornalistas franceses abandonaram a sala de imprensa quando o treinador do Marselha entrou para fazer a antevisão da partida com o Reims.

O protesto contra o técnico português foi motivado pela solidariedade para com o colega do La Provence que, dias antes, terá sido ameaçado por André Villas-Boas.

O treinador do Marselha já tinha pedido desculpa pelo incidente, mas ferida continuou aberta.