Visto da Bancada
Vítor Manuel (nº 110)
2017-09-26 12:30:00
Antigo jogador e treinador da Académica não esquece o Benfica-Sporting de 1965/66 em que Lourenço apontou quatro golos

Dezassete de Outubro de 1965. Vítor Manuel deixava o Tramagal e rumava a Lisboa, na companhia do pai. A primeira viagem que fez à capital, tinha então 13 anos, para ver o primeiro Benfica-Sporting da sua vida, uma vida que acabou por ficar intimamente ligada ao futebol, permaneceu para sempre na memória daquele que viria a treinar Académica, SC Braga, União de Leiria e Belenenses, entre outros clubes.

Para momentos especiais, um jogo especial. O Benfica-Sporting de 1965/66 ficou na história como um dos grandes dérbis do futebol português, com os leões a vencerem, no Estádio da Luz, as águias de Eusébio, Coluna, Simões, Torres e José Augusto por 4-2 com quatro golos de Lourenço.

"Tinha 13 anos e pela primeira vez ia a Lisboa. E logo para ver o grande dérbi do futebol português ao vivo", recorda Vítor Manuel, uma das figuras históricas da Académica, sublinhando: "Como é que poderia esquecer esse momento? Ficou para sempre na minha memória. Vivia no Tramagal, lembro-me que chovia muito e fui na companhia do meu pai e de um amigo. Para mais, o jogo foi extraordinário com Lourenço a fazer um póquer. Lembro-me de que o guarda-redes do Benfica era o Melo, que nove anos depois jogaria comigo na Académica e que ainda hoje é um grande amigo."

"Poder ver jogadores como Eusébio, Coluna, Simões e outros foi fantástico. Imagina o que é uma criança ter o prazer de ver, ao vivo, jogadores desta craveira num estádio completamente cheio?", questiona, ainda hoje, com emoção, o antigo treinador dos estudantes, onde deu nas vistas de 1984/85 a 1987/88 como técnico principal, depois de ter sido adjunto durante vários anos no clube de sempre, enquanto jogador.

O dérbi de 1965/66 ficou na história sobretudo devido aos quatro golos do sportinguista Lourenço, que logo aos 16 minutos colocou os verde e brancos na frente. Eusébio igualaria apenas dois minutos depois, tendo Lourenço ampliado a vantagem dos leões para 4-1 com remates certeiros aos 40, 67 e 77 minutos. Torres, aos 88 minutos, colocaria o resultado final em 4-2.

O Benfica alinhou com Melo, Raúl Machado, Germano, Augusto Silva, Cruz, Ferreira Pinto, Simões, Coluna, José Augusto, Torres e Eusébio, enquanto Carvalho, Morais, Alexandre Baptista, Hilário, Dani, José Carlos, Fernando Pinto, Figueiredo, Peres, Oliveira Duarte e Lourenço formaram o onze leonino.

 

 

Sê o primeiro a comentar: