Visto da Bancada
Tozé Marreco (nº 184)
2017-12-16 12:30:00
Avançado da Académica recordou partida referente ao Europeu de 2016

Tozé Marreco, antigo jogador de Aves, CF União, CD Tondela ou Naval, entre outros clubes portugueses e europeus, contou ao Bancada qual (e como) foi o jogo que mais lhe ficou na memória entre aqueles que assistiu ao vivo. Atualmente a representar a Académica, onde se formou, o ponta-de-lança não teve dúvidas: Hungria 3-3 Portugal, terceiro jogo e terceiro empate da Seleção Nacional na fase de grupos do Europeu de 2016. O jogo teve lugar em Lyon.

"Toda a gente estava a duvidar depois dos dois primeiros jogos e eu acreditei que aquilo ia correr bem desde o início. Comprei a viagem e o bilhete e arranquei para ir ver o último jogo da fase de grupos, com a Hungria", começou por dizer o avançado, que realçou o número de golos apontados nesse jogo e a visão privilegiada que teve do golo de calcanhar de Cristiano Ronaldo.

"Ficou na memória porque eu pus-me na pele de adepto e achei que era o jogo que a minha equipa, a minha seleção, mais precisava de apoio. Foi nessa perspetiva que eu achei que ter mais uma voz a gritar era importante. Foi um jogo muito forte, pelos golos. Ainda por cima estava atrás da baliza onde o Ronaldo fez o golo de calcanhar e, nesse aspeto, foi marcante e um momento de viragem para a seleção", frisou.

Portugal viria a conquistar o Europeu e, para isso, contou com o apoio dos adeptos portugueses. Tozé Marreco explicou que o ambiente vivido em França foi "muito saudável", até na confraternização com os adversários.

"Houve um apoio incrível. Quem estava ali, estava para ajudar. Estava tudo a apoiar, do primeiro ao último segundo. O Cristiano, se não estou em erro, ainda não tinha marcado e estava toda a gente a puxar por ele no estádio. Até tenho um vídeo engraçado [ver abaixo]. Estava um grande ambiente, até com os húngaros à volta do estádio. Tudo muito saudável, apesar do calor. Os Campeonatos da Europa e os Campeonatos do Mundo têm uma atmosfera diferente", assegurou o jogador de 30 anos.

Sê o primeiro a comentar: