Visto da Bancada
Silvino Morais (nº 103)
2017-09-16 12:30:00
Chorou desalmadamente quando, ainda novo, viu o Benfica perder mas acabou por tomar-lhe o gosto ao serviço do FC Porto

Silvino Morais começou por contar ao Bancada que chorou compulsivamente por ter visto o Benfica perder numa ida ao antigo Estádio das Antas tinha apenas sete anos, e que chegou a responder, numa entrevista a uma revista do FC Porto que era benfiquista doente mas acabou por explicar que com o passar dos anos, não houve outro clube que lhe desse mais gozo vencer que não Benfica.

O antigo guarda-redes formou-se como futebolista no FC Porto onde chegou a profissional, mas o seu primeiro grande amor foi encarnado. O que é curioso para alguém natural de Vila Nova de Gaia e criado por um pai portista. “Eu era doente pelo Benfica, e há um momento da minha infância de que me recordo. Fui ao Estádio das Antas ver um FC Porto-Benfica, tinha eu sete anos, julgo que no Benfica jogava o Eusébio.”

O Benfica acabaria por perder esse jogo, por quanto, Silvino não consegue precisar, o que o atual coordenador da formação do SC Espinho jamais esquecerá é a forma como saiu do antigo Estádio das Antas. “O Benfica perdeu, não me recordo se foi 1-0 ou 2-1, só me lembro de vir a chorar desalmadamente. Depois quando comecei a jogar as coisas foram mudando até que deixei de lado essa paixão de infância.”

Silvino começou a jogar nos escalões jovens do FC Porto e cedo começou a perceber que ver o Benfica perder lhe ia trazer mais alegrias do que tristezas, sem antes, ter protagonizado um momento caricato que na altura lhe valeu algumas reprimendas. “Fui considerado o melhor guarda-redes num torneio e fui entrevistado por uma revista do FC Porto e fui-lhes dizer que era adepto ferrenho do Benfica. Houve umas quantas pessoas não gostaram muito.”

O antigo guarda-redes de SC Espinho, FC Porto, Belenenses e Gil Vicente (entre outros) começou a tomar o gosto aos títulos ainda muito jovem ao tornar-se campeão nacional pelo FC Porto nos diferentes escalões de formação e o gosto em bater o Benfica foi algo inerente ao facto de representar os azuis e brancos. “Fui campeão em juvenis e em juniores e sempre a ganhar ao Benfica. Passaram os anos e quando dei por mim já não lhes ligava nenhuma.”

Já como treinador de guarda-redes da equipa de juniores do FC Porto a tendência manteve-se e os títulos de campeão nacional continuaram a ser uma realidade, muitos deles à custa de vitórias sobre o Benfica, clube pelo qual Silvino Morais já não tinha qualquer ligação emocional. “Fui perdendo o interesse pelo Benfica e hoje não tenho ligação emocional com nenhum clube. Sou ligado às pessoas, não aos clubes.”

Sê o primeiro a comentar: