Visto da Bancada
Rogério Matias (nº34)
2017-07-04 16:00:00
Antigo internacional português recorda o jogo que tornou Portugal bi campeão do Mundo Sub-20

Se há jogos que, por si só, definem eras no futebol mundial ou do futebol de um país em particular, aquele de 30 de junho de 1991 foi um deles. Rogério Matias foi uma das 127 mil pessoas que estavam presentes no Estádio da Luz e que assistiram à vitória de Portugal, nas grandes penalidades, perante o Brasil, uma vitória que tornaria Portugal bi campeão mundial júnior. Dois anos antes, em Riade, na Arábia Saudita, já Portugal vencera a Nigéria por 2-0.

Mais do que um título Mundial, a vitória de Portugal sobre o Brasil, foi para Rogério Matias um momento decisivo no futebol português. A partir daí, a mentalidade mudou e a abertura dos técnicos para que jovens jogadores tivessem mais oportunidades passou a ser outra. Para o antigo internacional português, “Carlos Queirós foi uma das pessoas mais importantes para o desenvolvimento do futebol português” e para que, hoje, Portugal se tivesse estabelecido como uma das grandes forças do futebol europeu.

O encontro do Estádio da Luz, para Rogério Matias, não foi apenas memorável pelo título que possibilitou, mas, principalmente, pela consequência que trouxe na mudança de mentalidades no futebol português. Mas algo é certo. “O pontapé de penálti de Rui Costa foi a cereja no topo do bolo”, um momento de êxtase como poucos. Rogério Matias era então um jovem. Viu todos os jogos disputados no Estádio da Luz com amigos de infância. Não conduzia, mas chegou ao estádio pelo metro. Naquela tarde, tantas eram as pessoas que chegaram à Luz via metropolitano que, assim que as portas abriram na Estação do Colégio Militar, Rogério Matias foi projetado para fora da carruagem.

A 30 de junho de 1991 Rogério Matias testemunhou História e o nascimento de uma “grande fornada de jogadores” que serviram o futebol português e o futebol europeu como poucos na história do país. Figo, Rui Costa, Jorge Costa ou João Vieira Pinto à cabeça.

Sê o primeiro a comentar: