Visto da Bancada
Mário Jorge (nº 108)
2017-09-21 12:30:00
Antigo médio recorda o França-Portugal do Europeu de 1984 no dia em que um jogo das caricas mudou a história da Seleção

Mário Jorge recorda o Portugal-França do Europeu de 1984, partida que afastou a Seleção Nacional do sonho de estar presente na final da competição, como o jogo que mais o marcou, apesar de não o ter visto das bancadas do Orange Vélodrome, em Marselha. Tinha 15 anos, estava em casa e foi pela televisão que viu aquele que qualifica como um encontro “mágico”.

Tão mágico quanto o jogo das caricas com que se entreteve antes de começar o duelo entre Portugal e França e que finalizou depois da partida em Marselha ter terminado mudando a história da Seleção Nacional. “Tinha a cara dos jogadores coladas nas caricas, das duas equipas, e quando o jogo a sério começou interrompi e fiquei agarrado à televisão a ver. O engraçado é que estava 3-2 para a França. Depois de a partida ter terminado, lá mais para a noite fui continuar o meu jogo e mudei o resultado. Ficou 4-3 para Portugal”. Golos? “Um hat-trick do Jordão e um do Chalana. Comigo, Portugal ganhou esse jogo”, faz questão de vincar.

Mais a sério, o antigo médio de Estoril-Praia, Estrela da Amadora, Marítimo e Campomaiorense, recorda a grande exibição de Portugal nesse sábado 23 de junho de 1984. “Foi sem dúvida o jogo da minha vida e, quiçá, teve influência em ter sido jogador. Foi um jogo mágico. Estivemos a ganhar, com dois golos do Jordão... Mas apesar da derrota fomos melhores, sem dúvida. Esse Europeu em França permitiu-nos continuar a acreditar que o futebolista português, e consequentemente o futebol português, tem uma valia acima da média. Só tenho de agradecer a essa geração pelo facto de ter alimentado o meu sonho de um dia querer e poder ser jogador”.

 

Sê o primeiro a comentar: