Visto da Bancada
José Mota (nº 132)
2017-10-20 11:00:00
O atual treinador do CSS Sfaxien, da Tunísia, recorda o Portugal, 3 - Inglaterra, 2 do Europeu de 2000

José Mota, atual treinador do CSS Sfaxien, da Tunísia, não esquece o jogo entre Portugal e Inglaterra da fase de grupos do Campeonato da Europa de 2000 realizado em conjunto pela Bélgica e Holanda, e elege essa partida como um dos mais marcantes espectáculos de futebol que assistiu na vida na condição de espetador de bancada. "Há jogos que nos marcam para sempre e esse é um deles", começa por referir o técnico cujo último clube que treinou em Portugal foi o Aves em 2016/17.

"Presenciei o jogo na companhia de vários treinadores e foi uma experiência completamente diferente de todas. Pela viagem que fizemos em conjunto, pelo convívio, pela atmosfera que rodeava o jogo e pelo próprio jogo em si", conta José Mota. "Estávamos junto de adeptos ingleses, em minoria, e vibrámos com o desenrolar da partida. Foi inesquecível. A perder por 2-0, Portugal deu a volta ao resultado e provou que, nós portugueses, quando perdemos a timidez, somos capazes de tudo", refere o técnico de 53 anos, a viver a primeira experiência no estrangeiro. "Um jogo que me marcou antes, durante e depois", resume José Mota que considera esse dia como um dos mais marcantes na história do futebol português.

"Ganhámos esse jogo por 3-2 depois de ter estado a perder por 2-0 porque nos libertámos, assumimos o risco. O golo do Figo...do João Vieira Pinto..do Nuno Gomes...Vivemos aquilo na base da emoção e foi muito gratificante ter presenciado in loco aquele momento".

Para a história fica a marcha do marcador deste jogo épico: Paul Scholes (3', 1-0); Steve McManaman (18', 2-0), Luís Figo (22', 2-1), João Vieira Pinto (2-2, 37') e Nuno Gomes (3-2, 59'). Portugal perdeu nas meias-finais com a França por 2-1, após prolongamento.