Visto da Bancada
Freire (nº 38)
2017-07-08 20:00:00
Antigo avançado do Sporting não esquece o "extraordinário golpe de rins de Vítor Damas" a remate de Eusébio

Um extraordinário golpe de rins de Vítor Damas a remate de Eusébio ficou para sempre na memória de Freire, antigo avançado do Sporting. Decorria o ano de 1972. “Tinha 13 ou 14 anos anos. O meu pai era sportinguista e quando podíamos lá íamos ao futebol. É um daqueles momentos mágicos que quem gosta de futebol não esquece. O Damas era na altura o ‘nosso Eusébio’ e existia uma rivalidade sã entre os dois jogadores. O Eusébio rematou de cabeça e o Damas, com um espectacular golpe de rins evitou o golo”, recorda Freire, admirador confesso do guarda-redes leonino.

O momento eleito por Freire foi de tal modo memorável, que quer Damas, quer Eusébio não o esqueceram. “Quando eu ia no ar já de braços levantados a gritar golo, o Damas, todo no ar, evitou, com a ponta dos dedos, que a bola entrasse”, recordava o “Pantera Negra”, enquanto o eterno guarda-redes do Sporting elegia aquele momento como a defesa mais difícil da carreira. “Das imagens que tenho na memória esta é a defesa mais difícil que tive de executar. É das mais difíceis para um guarda-redes.”

O jogo, esse, terminaria com um triunfo do Benfica por 4-1, num ano em que os encarnados conquistariam o campeonato nacional.

Melhor resultado tiveram os leões na estreia de Freire com a camisola do Sporting, precisamente contra o velho rival. Ainda com 17 anos, a 13 de março de 1977, o avançado foi a grande surpresa numa equipa onde pontificavam nomes como Keita, Marinho e Manoel. E foi Manoel o herói do jogo, ao apontar os três golos do triunfo por 3-0.

Com este resultado, os leões afastavam os grandes rivais dos quartos-de-final da Taça de Portugal. “Que melhor estreia poderia ter?”, lembra Freire, que fez mais de 250 jogos de leão ao peito.