Visto da Bancada
Francisco Rodrigues (nº 43)
2017-07-13 17:00:00

Para a maioria dos portugueses o Euro’2016 constituiu uma grande alegria por todas as razões óbvias e mais algumas. Para os que lá estiveram a experiência foi ainda mais marcante. Foi esse o caso de Francisco Rodrigues, presidente da Associação Nacional de Surfistas, que a 6 de julho de 2016 deixou as ondas de lado para ir ver ao vivo um jogo da seleção Nacional em França. Portugal venceu o País de Gales, por 2-0, avançando para a final do torneio. Um momento que levou o “líder” dos surfistas portugueses a fazer um paralelismo com o surf.

“Para nós, portugueses, na generalidade, mas especificamente para os surfistas, devido a um conjunto de experiências sempre complicadas a nível de competição [que acontecem nas ondas francesas], acabou por ser um orgulho muito grande, não só pelo resultado em si, que permitiu passar à final, mas também por poder gritar vitória em França”, conta Francisco Rodrigues ao Bancada.

Pelos motivos explicados, a presença na final teria tido uma dimensão ainda maior para Francisco. “Com pena não estive na final, o que tornaria esse sentimento mais intenso. Mas não deixou de ser um grande orgulho ver Portugal a avançar para a final de uma competição daquelas”, frisou o presidente da ANS, que foi assistir ao encontro com amigos, lembrando que, embora não se tivessem cruzado, nesse mesmo jogo, “o 'Kikas' estava no estádio”, referindo-se a Frederico Morais, surfista português que atualmente compete no circuito mundial de surf.

O pós-jogo também é relembrado com curiosidade por Francisco Rodrigues. “Antes do jogo, naqueles espaços habituais de convívio, não víamos muitos portugueses, a maioria das pessoas eram galesas. Mas a seguir ao jogo foi tudo invadido por portugueses em todo o lado”, recorda.

Sê o primeiro a comentar: