Visto da Bancada
Eduardo Cintra Torres (nº 17)
2017-06-17 20:35:00
Quando marcar um golo deu direito a uma expulsão num Barreirense - Sporting

O crítico de televisão, professor universitário e autor de 17 livros nunca mais esquecerá o jogo que marcou a sua primeira visita a um estádio com a companhia do seu filho, “tinha ele mais ou menos 12 anos”, recorda o doutorado em Sociologia.

O professor Cintra Torres admite que não é um grande entendido no futebol e lembra que perdeu algum do encanto que nutria pelo desporto rei quando “há quase quatro décadas” percebeu “que as arbitragens eram mais importantes do que o próprio jogo” e que muitas vezes se sentiu “enganado”. Ressalva, no entanto, que acha o futebol “um jogo extraordinário” e entende a paixão mundial pelo espetáculo. Há, porém, uma partida que não esquecerá: foi a primeira vez que levou o filho a um estádio.

Aconteceu na época 1992/93 e o Sporting visitava o Estádio D. Manuel de Mello para defrontar o Barreirense na 4ª eliminatória da Taça de Portugal naquele que era um clássico do futebol português. Os lisboetas acabaram por vencer por 1-0 com um golo de Cadete a dois minutos do fim e Eduardo Cintra Torres recorda: “Aqui com a ajuda do meu filho lembro-me do Jorge Cadete ter marcado o golo e depois ter ido festejar o feito com os adeptos nas bancadas, subiu as redes, e que foi expulso por causa disso”.

O Sporting regressava ao Barreiro 14 anos depois da última visita oficial ao Manuel Mello e os adeptos da casa fizeram questão de recordar os bons velhos tempos com uma enchente das antigas. O professor não esquece o fumo das tochas e o ambiente efervescente que se viveu nesse dia dentro e fora do estádio.

Sê o primeiro a comentar: