Visto da Bancada
Duílio (nº 249)
2018-03-14 12:30:00
Antigo defesa central do Sporting e Estrela da Amadora recorda um jogo no Brasil que serviu de ensinamento para a vida

Duílio, antigo defesa central brasileiro do Sporting e Estrela da Amadora, recorda ao Bancada um jogo que assistou ao vivo ainda em criança e que o marcou para o resto da vida. Natural de Curitiba, estado do Paraná, onde nasceu há 61 anos (festejou o aniversário esta terça-feira), Duílio nunca mais esquece o dia em que assistiu do 'Alto da Glória', nome pelo qual os adeptos do Coritiba chamam ao Estádio Couto Pereira, a um emocionante Coritiba FC-Colorado que acabaria por lhe transmitir um ensinamento para a vida.

"Eu era ainda garoto, tinha uns 7/8 anos, e nesse jogo o resultado estava 4-1 para o Colorado. O Coritiba, no entanto, teve uma boa reação. Fez o 4-2, o 4-3...mas acabou por não conseguir o empate", recorda o agora treinador do America RJ, clube onde chegou a jogar em 1982.

O então menino Duílio ficou muito marcado pela derrota e ao ver a sua equipa do coração perder (representou as camadas jovens do clube) não se conteve em lágrimas. "Chorei muito, estava inconsolável por não termos chegado ao empate", lembra. Desse dia reteve algo de muito importante. "Disse para mim mesmo que nunca mais iria chorar por uma equipa ou jogo de futebol", conta ao Bancada. Até hoje.

Antes de chegar ao futebol português, Duílio representou no Brasil o histórico Fluminense (de 1983 a 198) e conquistou uma Copa Brasil, em 1984, derrotando o Vasco da Gama por 1-0. Em Portugal, ao serviço do Sporting venceu uma Supertaça em 1987, derrotando o Benfica por 3-0 e 1-0, e com as cores do Estrela da Amadora conseguiu um feito ainda maior ao erguer o troféu da conquista da Taça de Portugal, em 1990, numa final com o Farense (2-0, após 1-1 no primeiro jogo). Duílio jogou ainda na Ovarense e no Portimonense.

Participa na Liga NOS Virtual
RealFevr
Liga Bancada

Criar equipa