Visto da Bancada
César Brito (nº 1)
2017-06-01 20:00:00
Antigo ponta de lança das águias recorda o "ambiente fenomenal" da antiga Luz no Benfica,1-Marselha,0

O célebre triunfo do Benfica sobre o Marselha mercê da não menos célebre mão de Vata é o escolhido por César Brito como o jogo mais emblemático que viveu, enquanto adepto na bancada. “É um daqueles jogos inesquecíveis, com um ambiente fenomenal no antigo Estádio da Luz”, refere, recordando: “Depois da derrota (1-2) da primeira mão o Benfica precisava de ganhar. Um golo bastava e acabou por surgir já nos minutos finais. Quem não se lembra da mão de Vata?”

César Brito recorda jogadores como Mozer, Ricardo e Valdo numa “super-equipa”. “Estava convocado para esse jogo mas acabei por ficar na bancada. Acabou por valer a pena.”

O Benfica só precisava de um golo para passar e ele acabou por aparecer aos 83 minutos, através da célebre mão de Vata, que o árbitro belga Marcel van Langenhove não viu, para desespero dos gauleses.

O Benfica perderia, depois, a 23 de maio, no Estádio do Prater, em Viena, o jogo do título europeu para o AC Milan, de Van Basten, Gullit e Rijkaard, que decidiu o desafio aos 67 minutos, e, desde então, qual maldição, jamais chegou a uma final europeia.

Sê o primeiro a comentar: