Visto da Bancada
Carlos Santos (nº 121)
2017-10-09 12:30:00
O central ex-Boavista, que representa agora o Salgueiros, lembra uma grande vitória do FC Porto no Estádio das Antas.

“Não costumo ir ver muitos jogos, é difícil”, explicou ao Bancada Carlos Santos, o central que representou o Boavista até à temporada passada e que joga agora no Salgueiros, quando questionado sobre qual o jogo mais marcante a que já assistiu na bancada.

“Houve o 3-3 na Luz, no ano passado…”, mas nesse jogo Carlos Santos estava no banco de suplentes do Boavista e não como adepto na bancada, pelo que tivemos de continuar a rebuscar na memória até que de lá emergiu um jogo memorável, em 2003. Então com 14 anos acabados de fazer, Carlos Santos recorda que “só ia ver os jogos do FC Porto”, porque estava lá na formação, e lembra o dia em que “ganharam à Lazio, depois de estarem a perder 1-0, ainda era o Estádio das Antas. Na altura foi o jogo que se viveu mais intensamente, porque a Lazio também tinha uma grande equipa. O FC Porto começou a perder cedo, se não me engano, e depois deu a volta.”

E, de facto, Carlos Santos não se enganou, já que a Lazio se colocou em vantagem logo aos seis minutos de jogo. Mais difícil foi lembrar o autor do golo: “Crespo? Não sei…” arriscou, mas Crespo tinha deixado a Lazio na temporada anterior e já estava no Inter Milão nessa altura. O marcador foi sim Claudio López, uma das muitas estrelas de uma equipa treinada por Roberto Mancini e que contava também com Peruzzi, Mihajlovic, Fernando Couto, Stankovic e Simeone, por exemplo.

Carlos viu o jogo juntamente “com os miúdos da formação” que estavam no lar do FC Porto e o único golo cujo autor consegue lembrar é o de Hélder Postiga, também ele saído da formação do clube. Os restantes marcadores é mais difícil porque “já foi há tantos anos…”. Mas havia muitos nomes dignos de registo na equipa do FC Porto naquele dia. Maniche e Derlei (por duas vezes) fizeram os restantes golos da vitória por 4-1, em que também participaram Vítor Baía, Jorge Costa, Ricardo Carvalho, Costinha, Maniche e Deco, entre outros. No banco estava um jovem treinador, ainda sem qualquer título no currículo: um tal de José Mourinho.

O jogo contava para a primeira mão das meias-finais da Liga Europa e a vitória por 4-1 frente à Lazio foi meio caminho andado para a final de Sevilha, onde o FC Porto conquistou a prova, frente ao Celtic.