Visto da Bancada
António Simões (nº 235)
2018-02-18 12:30:00
Antiga glória do Benfica escolhe o jogo de uma vida enquanto adepto

A célebre vitória do Benfica por 6-3 no Estádio José Alvalade a 14 de maio de 1994 ficou para sempre na memória de António Simões, antiga glória campeã europeia pelos encarnados. O antigo "magriço", que fez parte da Seleção Nacional que brilhou no Mundial de 1966 em Inglaterra, recorda o feito coletivo que acabou por conduzir o clube da águia à conquista do título, mas faz questão de enfatizar a jogada singular de João Pinto no lance do primeiro golo. "Como adepto esse foi o jogo e esse foi o momento que mais me marcou", lembra ao Bancada, sublinhando: "Dei por mim a levantar-me e a gritar, algo que não costumo fazer, face à arte e ao talento do João Pinto, naquele golo mágico."

"Só estava verde à volta dele e ele desenrascou-se de tal forma que marcou um golo inesquecível. Faz-me lembrar uma pessoa que está presa no trânsito atrás de nós e de repente já está à nossa frente", acentua António Simões, verdadeiramente encantado com o momento mágico de João Pinto em Alvalade. "Levantei-me num impulso rendendo-me à arte do João."

Num dérbi de loucos, Cadete inaugurou o marcador, tendo João Pinto igualado. Figo voltou a colocar os leões na frente, mas João Pinto repôs o empate e ainda antes do intervalo fez um "hat-trick" que levou as águias à liderança do marcador. Isaías bisou no segundo tempo tendo Hélder feito o sexto golo, com Balakov a reduzir e a estabelecer o resultado final.

O Sporting, liderado por Carlos Queiroz, alinhou com Lemajic; Nélson, Valckx, Vujacic e Paulo Torres (Pacheco, 45'); Figo, Paulo Sousa, Capucho e Balakov; Cadete e Iordanov (Poejo, 60'). Já o Benfica, que tinha Toni no comando técnico, apresentou Neno; Veloso, Mozer, Hélder e Kennedy; Abel Xavier, Vítor Paneira, Isaías (Rui Costa, 71'), e Schwarz; Ailton e João Pinto (Rui Águas, 78').

Sê o primeiro a comentar: