Visto da Bancada
António Botelho (nº 140)
2017-10-30 13:40:00
Antigo guarda-redes escolheu um Belenenses-FC Porto (1-0) como melhor jogo Visto da Bancada

Contactado pelo Bancada, António Botelho elegeu uma receção do Belenenses ao FC Porto como o jogo mais marcante que alguma vez viu ao vivo enquanto adepto. À primeira vista, a escolha é algo estranha, pois o antigo guarda-redes nunca representou nenhum dos dois clubes - foi, nos anos 70 e 80, jogador de Boavista, Sporting, Benfica, entre outros. Contudo, a partida entre os azuis do Restelo e os azuis portuenses ficou na memória por razões familiares.

"O meu filho [Marco Botelho], por acaso, era guarda-redes do Belenenses. Foi um bom jogo. Jogava ainda o Jardel no ataque do FC Porto", começou por dizer António Botelho.

Estávamos a 31 de janeiro de 1998 quando o Belenenses de Manuel Cajuda, último classificado da Liga, recebeu o FC Porto de António Oliveira, líder destacado da tabela classificativa. Os lisboetas marcaram o único golo do encontro aos 14' por intermédio de Dias, mas foi Marco Botelho, filho de António, quem brilhou entre os postes. Com apenas 21 anos, o guardião impediu o golo a Jardel, Capucho ou Sérgio Conceição, elementos da equipa portista que ganhou o título em 1997/98.

"Para já, a exibição do meu filho. Fez um grande jogo, efetivamente. De resto, foi o Jardel não conseguir fazer nenhum golo ao meu filho. Acho que foi o único guarda-redes da Primeira Divisão que não sofreu golo do Jardel [risos]", brincou o antigo jogador de 70 anos, que ainda lembrou o ambiente que se viveu no Estádio do Restelo, onde os adeptos do FC Porto estavam em maior número.

"Os associados do FC Porto eram muito mais que os do Belenenses, mas saíram de lá com uma derrota justa. Foi uma vitória bonita do Belenenses", concluiu António Botelho.

Participa na Liga NOS Virtual
RealFevr
Liga Bancada

Criar equipa