Prolongamento
"Rui Pinto continua preso, os suspeitos a ser investigados foram poupados"
2019-09-16 17:30:00
Advogado do hacker critica "paradoxo" da justiça portuguesa

Rui Pinto, denunciante do Foobtall Leaks, continua em prisão preventiva devido a "especificidade da lei portuguesa", segundo o advogado do hacker, que considerou "incomum" o longo tempo de detenção "sem acusação formal".

Em entrevista à Der Spiegel, William Bourdon lembrou a situação de Rui Pinto, detido desde 22 de março, e atacou a justiça portuguesa por não aproveitar a colaboração do denunciante do Foobtall Leaks.

"Não há absolutamente qualquer risco, como por vezes existe noutras situações, de que o Rui vá intimidar ou perturbar a investigação. Na Alemanha, França, Inglaterra ou Itália, o Rui nunca seria detido com base nestas acusações", garantiu.

"É incomum ter alguém detido por tanto tempo sem uma acusação formal", algo que "contradiz completamente o que é esperado e requisitado pelo Parlamento Europeu, pela Comissão Europeia e pela sociedade civil", insistiu o advogado.

Até agora, Rui Pinto foi apenas sujeito a "um pequeno interrogatório", no qual "reiterou a vontade em colaborar".

"Abriu essa porta, mas as autoridades portuguesas ainda não a utilizaram. Isto leva-nos a um paradoxo histórico: já foram pagas enormes multas e outras serão pagas no futuro por jogadores, agentes e clubes. Há inquéritos a decorrer nos próximos meses, que envolvem atividades criminais no futebol e, ao mesmo tempo, Rui Pinto continua preso. Os suspeitos cujas atividades deveriam ser investigadas foram poupados", reforçou William Bourdon, considerando este caso "absurdo".