Prolongamento
Quem é Andrea Radrizzani, o "culpado" da SportTV poder perder a Champions
Gomes Ferreira
2018-05-11 21:00:00
O empresário italiano, dono do Leeds, lidera a Eleven Sports que quer adquirir os direitos de transmissão da Champions

O duelo decisivo da Liga dos Campeões entre o Real Madrid e o Liverpool FC do próximo dia 26 de maio poderá muito bem ser a última final da prova milionária a ser transmitida pela SportTV. O canal televisivo português por cabo verá terminar no fim desta época os direitos de transmissão da principal competição da UEFA e terá perdido a corrida à aquisição dos mesmos para as próximas três temporadas (2018/19, 2019/20 e 2020/21). A ‘culpa’ é da entrada em cena da Eleven Sports, empresa fundada em 2015 e liderada pelo italiano Andrea Radrizzani, que comprou o Leeds United em 2017, e que está a apostar forte nesta área dos direitos televisivos. Em expansão, trata-se de um operador que emite em países que vão do Taiwan aos Estados Unidos, passando por Singapura, Inglaterra, Bélgica, Polónia e Itália.

Mas quem é afinal Andrea Radrizzani, um empresário italiano de 43 anos dono do Leeds que tem estado nos últimos meses em foco por estar envolvido em algumas polémicas? Primeiro foi a carta endereçada à federação inglesa a questionar a relação de Jorge Mendes com o Wolverhampton, depois a digressão anunciada do Leeds a um país acusado de violação dos direitos humanos.

Vamos por partes. Em janeiro de 2017, Andrea Radrizzani, através da Aser Group Holding, adquiriu 50 por cento do Leeds. Os valores da transação não foram divulgados,mas Radrizzani assumiu o controlo do clube, já que o empresário também italiano Massimo Celino, manteve apenas 47,37 por cento do capital, pertencendo a cota restante à câmara de Yorkshire. Importa, no entanto, ressalvar que em dezembro de 2016, antes da entrada em cena de Radrizzani, Cellino, que também controla o Cagliari, que disputa a Série A italiana, está suspenso de todas as atividades envolvendo o futebol por um período de 18 meses, e multado em 250 mil libras. A suspensão ocorreu pelo dirigente violar as regras da FA na venda de Ross McCormack para o Fulham, em 2014, por comissões irregulares.

“Sinto que a única maneira que podemos melhorar é trazer um novo sócio. Andrea é jovem e traz uma nova energia com ele. Além de ter uma boa experiência nos negócios do futebol, que é o futuro de todos os clubes”, afirmou na altura Massimo Celino para explicar a entrada de Radrizzani que para além de ter criado em 2015 a Eleven Sports Network, cadeia de televisão especializada em desporto, queopera sobretudo no leste europeu e Ásia, é o fundador da MP&Silva, agência que trabalha com agentes do desporto. Radrizzani criou também em 2010 a Fundação "Play for Change", instituição de caridade internacional, que visa ajudar crianças carenciadas a garantirem um futuro melhor através de fundos para a educação e acesso ao desporto.

Mais recentemente, Andrea Radrizzani esteve envolvido numa cruzada legal contra o Wolverhamptron e as ligações ao empresário português Jorge Mendes. Radrizzani escreveu uma carta à Federação Inglesa de Futebol e à Liga Inglesa para clarificar a relação entre o Wolves e Mendes. "Quero entender as regras de modo a poder atuar como eles", disse na ocaisão o investidor italiano em declarações à BBC.

Radrizzani critica o facto de a Fosun, dona do Wolves, ter uma quota-parte na agência Gestifute, de Jorge Mendes, que representa alguns jogadores no clube inglês. "Temos de jogar uma competição justa", escreveu então o dono do Leeds na sua conta de Twitter, após a sua equipa perder por 3-0 com o Wolverhampton, que acabou por assegurar a subida à Premier League ao contrário do Leeds United que se quedou pelo 11º lugar.

Por último, foi a decisão do Leeds United em realizar uma digressão a Myanmar, que causou ondas de indignação no governo inglês e na Amnistia Internacional, lembrando as violações de direitos humanos naquele país. Ao que Radrizzani veio defender-se, como homem de negócios que ganha cada vez mais visibilidade no mundo do futebol: "Vivi na Ásia durante mais de dez anos e Myanmar é um país que visitei em muitas ocasiões”, disse Radrizzani, em declarações reproduzidas pelo “The Guardian”. “Eu sei bem das questões sérias que assolam o país, mas também sei que é um local muito bonito repleto de pessoas incríveis e hospitaleiras”, afirmou o italiano. “A decisão [de fazer a digressão em Myanmar] foi muito ponderada e nós sabíamos que seria controversa, mas isto é sobre pessoas e não governos. Nunca foi minha intenção, nem do clube, envolver-me num debate político em Myanmar. Contudo, se, devido à nossa visita ao país, os problemas forem sublinhados, então talvez seja algo positivo”, referiu o italiano que aposta forte este verão na batalha dos direitos de transmissão televisiva.

Segundo informações veiculadas pela imprensa nacional esta semana, a Eleven Sports adquiriu os direitos da Champions League e La Liga já na próxima época, tendo a Sportv perdido o monopólio que detinha e tendo ficado sem estas competições. Num futuro bem próximo a Eleven Sports também quererá adquirir os direitos da Premier League, League 1 e Série A. Certeza é terem adquirido na semana passada os direitos da Liga espanhola para o Reino Unido. Sem poder emitir em Portugal (pelo menos para já), a estratégia da Eleven Sports poderá, no entanto, passar pela compra dos direitos para os revender a operadores que possam emitir no nosso país.

Sê o primeiro a comentar: