Prolongamento
Quando o bom filho a casa torna. De Pepe a Rui Costa, de Aimar a Torres
2019-01-09 18:30:00
Jogadores que voltaram ao clube que os lançou no futebol

Num futebol cada vez mais globalizado, onde o amor e os títulos são tantas vezes trocados por euros (ou dólares) que preenchem a conta bancária mas esvaziam a crença dos adeptos, a pura paixão pelo símbolo cravado na camisola acaba, não raras vezes, por ter uma palavra (nem sempre a última nem derradeira).

Pepe é o caso mais recente e mediático de um jogador que chegou menino ao Porto e de dragão ao peito se projetou para outros patamares. Saiu, mas sonhou sempre voltar à casa de partida num futebol que, cada vez mais, parece um monopólio onde os mais ricos levam tantas vezes a melhor.

Mas Pepe não é um caso único e, por certo, não será o último, daí que o Bancada lhe recorde outros casos mediáticos do 'bom filho que a casa torna'.

Os exemplos aqui mostrados são variados e vão desde jogadores que voltaram ao clube que os projetou no começo de carreira mas nem todos terminaram a carreira necessariamente aí.

Luís Carlos Almeida da Cunha sempre foi conhecido no mundo da bola por Nani, o menino da Amadora que cedo despertou curiosidade entre os responsáveis leoninos que o 'agarram' para as camadas de formação até que foi lançado por José Peseiro na equipa principal (corria o ano de 2005).

As exibições de Nani convenceram não apenas o treinador e os responsáveis do Sporting como despertaram a cobiça de Sir Alex Ferguson, o lendário treinador do Manchester United que, anos antes, tinha levado Ronaldo para Old Trafford.

Após várias temporadas consecutivas nos 'diabos vermelhos', na época 2013/14, Nani regressou a Alvalade, envolvido no negócio que levou Marcos Rojo para o United.

Acabaria por deixar o Sporting (numa espécie de 'segunda vida') para ingressar nos turcos do Fenerbahçe, contando ainda com passagens pelos espanhóis do Valência e os italianos da Lázio.

Mas a terceira passagem de Nani pelo clube do coração voltaria mesmo a acontecer e... ainda acontece.No Dragão, Pepe é o mais recente 'filho' que volta a casa.

E a casa portista tem recebido ao longo dos anos muitos dos seus 'meninos'.

De Carlos Secretário, que voltou em 1997/98 a Vítor Baía, sem esquecer Sérgio Conceição, em 2003/04, num clube que Ricardo Quaresma - apesar de ter sido formado no Sporting - sempre assumiu sentir nas veias o no coração e para o qual também acabou por voltar.

João Vieira Pinto no 'xadrez' da pantera, Rui Costa para alegria do 'Terceiro Anel'

Ainda na Invicta, João Vieira Pinto protagonizou também ele um regresso a 'casa'.

Aquele que ficou conhecido como o 'Menino d'Ouro', como um dia lhe chamou Jorge de Brito, nunca se conseguiu fixar no estrangeiro e foi sempre a sul que mais vezes se o viu brilhar; primeiro na Luz, depois em Alvalade onde formou um dupla de ataque temível com Mário Jardel.

Em 2004, o boavisteiro João Vieira Pinto passou a envergar a pantera ao peito e ajudou no 'xadrez' tático o clube que o formou. Neste caso, importa referir que ainda passaria depois pelo SC Braga antes de pendurar as chuteiras.

Na Luz, houve sempre se suspirou por Rui Costa, o eterno maestro que deixou saudades no emblemático 'Terceiro Anel, que deixou em 1994 com o título de campeão.

Depois de passear classe por Florença e na 'passadeira' de Milão, Rui Costa voltou em 2006 para duas épocas de águia ao peito no clube que sempre amou.

Aimar e Saviola voltaram 'à casa de partida'

Bem conhecidos dos relvados portugueses, Pablo Aimar e Javier Saviola também voltaram 'à casa-mãe', no caso ao River Plate.

Depois de encantarem ao serviço dos Millonarios, ambos rumaram à Europa e, ainda que para destinos diferentes, mantiveram sempre a ligação entre si e nunca esqueceram o clube que os lançou.

No velho continente, o Benfica juntou aqueles que jamais deixaram de estar unidos e que voltaram, após novas voltas da vida, a cumprir o destino que lhes foi traçado de voltar a jogar ao serviço do River Plate - juntos, como se uma história de encantar com final feliz se tratasse.

Lá por fora, também Fernando Torres ganhou 'direito' a entrar na categoria de jogadores que voltaram à casa de partida. 'El Niño' cedo chegou à equipa principal do Atlético de Madrid e rapidamente conquistou a 'afición' dos colchoneros. Em 2007, rumou a Anfield para alinhar ao serviço do Liverpool.

Em terras de 'Sua Majestade', Torres ainda alinhou pelo Chelsea e também passou pelo Milan ainda de voltar 'a casa', em 2015.

Também na Liga inglesa, Wayne Rooney brilhou no Everton mas o 'chamamento' do 'Teatro dos Sonhos' (e o dinheiro) falaram mais alto a dada altura da carreira.

Apesar disso, o internacional inglês voltaria a jogar pelos 'toffees' no lado azul de Merseyside após 13 anos desde a sua saída. Atualmente, joga na Liga norte-americana.

Sê o primeiro a comentar: