Prolongamento
"Crimes expostos por Rui Pinto são muito mais graves mas nesses só há silêncio"
2019-09-20 09:30:00
Ex-eurodeputada faz a defesa do arguido

Rui Pinto foi acusado de 147 crimes pelo Ministério Público (MP) no âmbito da investigação de que é alvo por, alegadamente, ter entrado em servidores informáticos de entidades públicas e desportivas, sendo também suspeito de ter tentado extorquir dinheiro ao fundo de investimento Doyen Sports. Ana Gomes já veio a público fazer a defesa de Rui Pinto.

A antiga eurodeputada socialista, que tem sido um dos rostos mais mediáticos na defesa do hacker, não se mostra surpreendida com a acusação do MP mas levanta algumas dúvidas relativamente ao comunicado Procuradoria-Geral da República (PGR).

"O que me preocupa é que o comunicado da PGR não tenha uma única linha sobre terríveis e gravíssimos crimes que foram expostos por ele no site Football Leaks e que dizem respeito à criminalidade à solta no mundo do futebol", explicou, em declarações na 'SIC Notícias'.

De resto, Ana Gomes considera que os alegados crimes que Rui Pinto tornou públicos são "muito mais graves do que aqueles que lhe são imputados" agora pelo MP.

E concretiza a sua ideia. "Designadamente os de evasão fiscal, branqueamento de capitais, negócios de promiscuidade, conflito de interesses tremendos, captura de agentes do mundo económico, etc."

A ex-eurodeputada mostra-se desagradada que, em relação a isso, exista "silêncio total". "Não há uma linha no comunicado da PRG que dê notícia aos portugueses de que esses crimes gravíssimos estão a ser investigados."

Rui Pinto, colaborador do Football Leaks, foi acusado pelo Ministério Público de 147 crimes, 75 dos quais de acesso ilegítimo, 70 de violação de correspondência, sete deles agravados, um de sabotagem informática e um de tentativa de extorsão.