Prolongamento
"As claques deviam ser ilegalizadas", recomenda Ana Gomes
2020-02-24 12:40:00
Antiga eurodeputada pede "punições" mas não se mostra confiante na justiça

Ao falar da situação vivida por Moussa Marega, em Guimarães, a antiga eurodeputada apontou críticas aos "dirigentes dos clubes" até pelo discurso que têm tido e considera que "as claques deviam ser ilegalizadas".

Depois de valorizar a atitude do avançado do FC Porto e criticar os "criminosos" que dirigiram insultos ao maliano, Ana Gomes apelou a que seja tomadas medidas pela justiça desportiva.

Na 'SIC Notícias', a ex-eurodeputada não se mostrou, contudo, confiante.

"A justiça desportiva está controlada pelos grandes clubes. Não espero", disse, pedindo que se aplique a legislação já se tratam de "crimes" praticados.

"É preciso ir aos dirigentes e aos clubes. É aí que dói", sublinhou, apelando a que se apliquem "punições" e "não multas de 500 euros".

Ainda assim, Ana Gomes não se mostrou confiante e recordou notícias recentes de suspeitas entre juízes para falar de uma realidade à qual 'torce o nariz' na justiça portuguesa.

Na passada sexta-feira, recorde-se, o ex-presidente do Tribunal da Relação de Lisboa (TRL) Vaz das Neves, arguido na 'Operação Lex', negou ter tido qualquer tipo de benefício por intervenções suas em atos de distribuição de processos que envolvem o nome de Rui Rangel.

"Não tive qualquer benefício material, ou de outra natureza, com a intervenção que tive, enquanto Presidente do Tribunal da Relação de Lisboa, em atos de distribuição de processos", afirmou Luís Vaz das Neves, num comentário enviado à agência 'Lusa', na sequência de alegadas suspeitas de ter favorecido o juiz Rui Rangel na distribuição de um recurso.