Portugal
Vitória de Setúbal vence em Chaves e assegura manutenção na I Liga
2019-05-12 17:10:00
Vitória por 2-1

O Vitória de Setúbal garantiu hoje a permanência na I Liga portuguesa de futebol, com a vitória por 2-1 no terreno do Desportivo de Chaves, através de dois golos alcançados nos primeiros 16 minutos, na penúltima jornada.

A formação sadina entrou melhor e fez uma boa primeira parte, colecionando dois golos, por Allef, aos seis minutos, e Mendy aos 16, e defendeu o resultado na etapa complementar. A vitória permite somar 36 pontos, apanhar o Desportivo das Aves no 13.º lugar e assegurar a permanência a uma jornada do final.

Com a derrota, o Desportivo de Chaves, que apenas reagiu nos segundos 45 minutos, com um golo de Bruno Gallo, de grande penalidade, aos 64 minutos, volta aos lugares de descida, ocupando o 16.º lugar com os mesmos 32 pontos do 15.º, o Tondela, que visita na última ronda e face ao qual tem vantagem no confronto direto, o critério que conta nas contas finais.

Devido à expulsão na jornada anterior, no empate 4-4 no reduto do Feirense, o treinador dos flavienses, José Mota, não pôde estar no banco de suplentes e promoveu as entradas de Costinha e Ghazaryan no ‘onze’.

Por seu lado, o técnico dos sadinos, Sandro Mendes, não pôde contar com os castigados José Semedo, Zequinha, Jhonder Cádiz, expulsos na jornada anterior, na derrota por 3-0 com o Boavista, e Berto, a cumprir castigo por ter cinco amarelos, chamando ao ‘onze’ Sílvio, Mikel e ainda os decisivos Mendy e Allef.

Com a manutenção em discussão, o jogo foi mais emotivo que racional, mas foram os visitantes quem tiveram mais ‘cabeça’ e nos primeiros 45 minutos construíram uma boa vantagem, com eficácia no ataque, graças às batalhas ganhas a meio-campo, e boa organização defensiva.

Logo aos seis minutos, Rúben Micael descobriu Allef entre os centrais dos transmontanos e o brasileiro bateu António Filipe, fazendo o primeiro golo da época no campeonato. Depois, aos 16, foi Mikel, na sequência de um livre, a descobrir Mendy na área, com o avançado guineense a marcar de cabeça, antecipando-se ao guarda-redes, para o nono golo da época e o quarto na I Liga.

Em desvantagem, o técnico do conjunto de Trás-os-Montes retirou o médio defensivo Jefferson, lançando o avançado Platiny, aos 37 minutos, e mudando de um sistema tático de ‘4x2x3x1’ para um ‘4x4x2’.

Mas, a capacidade ofensiva dos locais não aumentou, apesar da maior posse de bola e iniciativa de jogo, e apenas Bruno Gallo, aos 28 minutos, com um remate para fora, procurou reduzir a desvantagem.

A equipa flaviense entrou mais dinâmica na segunda parte e, já com alterações esgotadas, com as entradas de Niltinho e Bressan, o atacante Platiny ganhou uma grande penalidade por falta de Sílvio, que Bruno Gallo transformou, aos 64 minutos.

Com o golo, os transmontanos pressionaram ainda mais o adversário, que, com as entradas de Sekgota, André Sousa e Cascardo, passou a explorar as transições, mas preocupou-se sobretudo em defender e pausar o ritmo de jogo.

O árbitro Artur Soares Dias ainda assinalou nova grande penalidade a favor do conjunto de Chaves por falta sobre Luther Singh, aos 86 minutos, mas após consultar o vídeoárbitro, a decisão foi revertida e o jogador local ‘amarelado’, ficando, assim, fora da última ronda.

Sê o primeiro a comentar: