Portugal
Varzim “tem qualidade para fazer mais e melhor", garante César Peixoto
2019-03-12 18:35:00
Novo treinador quer tirar os poveiros da zona de despromoção

César Peixoto, novo treinador do Varzim, da II Liga portuguesa, considerou hoje que a equipa poveira "tem qualidade para fazer mais e melhor" e sair dos lugares de despromoção.

O ex-jogador, de 38 anos, que se estreia no comando técnico de uma equipa, sucedendo a Fernando Valente no banco do Varzim, foi hoje oficialmente apresentado, mostrando "confiança na capacidade dos jogadores e da equipa técnica".

"Temos uma ideia de jogo bem assimilada e sabemos o que queremos para a equipa. Conhecemos bem o plantel a nível individual e coletivo, fizemos um estudo pormenorizado e percebemos que havia qualidade para fazer mais e melhor", começou por dizer César Peixoto.

O novo técnico do conjunto da Póvoa de Varzim 'herdou' a equipa nos lugares de descida de divisão, ocupando o 16.º posto, com 27 pontos, menos um do que o Sporting de Braga B, que ocupa o lugar imediatamente acima da 'linha de água', algo que, segundo César Peixoto, não será um entrave ao seu trabalho.

"[O Varzim] Não está numa posição confortável, mas eu acredito muito na equipa, nos jogadores e no clube. É um clube com história, que ainda no domingo levou muita gente a fazer 1.200 quilómetros para ir ver o jogo a Faro. É por eles que temos que dar tudo e acho que há qualidade para poder fazer um bom trabalho e cumprir os objetivos", afirmou.

César Peixoto, que possui o curso de treinador de nível 3 da UEFA, disse que tem como referências treinadores como Pep Guardiola [Manchester City], Maurizio Sarri [Chelsea] e os portugueses Jorge Jesus e Paulo Fonseca, partilhando a sua visão como técnico.

"Tenho uma ideia de jogo bem assimilada e quero implementá-la. Sei que nesta fase da época não é fácil e não as vou conseguir pôr todas em prática, porque tem que haver prioridades. Mas pretendo uma equipa positiva, que seja protagonista, com bola, que vai com certeza fazer golos e jogar bem. Quero, sobretudo, que os meus jogadores saibam o que fazer em todas as posições e em todos os momentos", afirmou o treinador.

O novo técnico dos poveiros, que assinou um contrato válido até ao final da temporada e já orientou hoje o seu primeiro treino com o plantel, mostrou-se confortável com a pressão deste primeiro desafio da sua carreira como técnico.

"Gosto de viver com pressão e preciso dela. Poderia ter escolhido outra carreira dentro do futebol, mas quis ser treinador. É o homem com mais pressão, mas acho que pode ser importante, desde que canalizada e filtrada de forma positiva", vincou.

Já Pedro Faria, presidente do Varzim, disse que César Peixoto foi o único treinador com quem falou após a rescisão com Fernando Valente, partilhando uma curiosidade sobre a opinião que recolheu.

"Perguntei-lhe apenas, por escrito, se ele conhecia os jogadores do Varzim e a história do clube. E, por incrível que pareça, ele respondeu-me em muito pouco tempo. Fiz a minha avaliação e revejo-me em tudo o que escreveu. Além disso, conforta-me que, enquanto jogador, o César tenha sido treinado pelos melhores técnicos da atualidade", afirmou o dirigente.

Para este desafio, César Peixoto traz consigo os adjuntos João Correia, José Pedro, Diogo Coutinho e Joaquim Leonardo, integrando na sua estrutura os técnicos da casa Paulo Cunha, Vitoriano Ramos e Sérgio Campos.

O treinador fará a sua estreia no banco do Varzim já este domingo, no jogo da 26.ª jornada da II Liga, em casa, frente à Oliveirense.

Sê o primeiro a comentar: