Portugal
"Temos competição a menos em Portugal. É muito pouco", diz Carvalhal
2019-09-07 15:55:00
Treinador do Rio Ave diz que em Inglaterra não tinha duas horas de tempo livre

O Rio Ave recebe este domingo o Vitória de Guimarães, em jogo em atraso da primeira jornada da Liga. Em conferência de imprensa, Carlos Carvalhal, técnico dos vila-condenses, reclamou por mais competição em Portugal, dando o exemplo de Inglaterra. 

"Uma das dificuldades que tenho sentido decorre do facto de estar habituado a uma dinâmica de trabalho que me levava a não ter uma ou das horas de tempo livre. Tinha uma dinâmica de jogo de terça a sábado, não havia muito tempo para celebrar as vitórias ou fazer o luto pelas derrotas. Não estou evidentemente de férias, mas tenho metade do trabalho que tinha porque tenho metade dos jogos", começou por dizer.

"Não quero ser crítico quanto à calendarização mas eu quero jogos. Em dezembro em Inglaterra há dinheiro e em Portugal também. É o Natal, regressam muitos emigrantes. Estamos aqui para servir, para entreter as pessoas. A minha profissão é para isso. Temos competição a menos em Portugal. É muito pouco", acrescentou o técnico. 

Em relação ao encontro, Carvalhal reforçou que a equipa está "focada na identidade" e perspetivou que a receção ao Vitória seja "o jogo mais difícil até agora em casa".

"Estamos focados na nossa identidade. Isso significa que estamos a preparar o nosso jogo e a subjugar menos o nosso jogo ao adversário. Temos apresentado uma dinâmica muito boa, principalmente em casa. Fizemos boas exibições, mas este vai ser o jogo mais difícil até agora em casa. Espero um V. Guimarães com uma identidade bem marcada, com uma dinâmica ofensiva forte, forte defensivamente e muito bem organizado. Não esperamos facilidades", concluiu.