Portugal
Gil Vicente mantém invencibilidade caseira frente a Sporting desinspirado
2019-12-01 22:40:00
Gilistas venceram por 3-1

O Gil Vicente conservou hoje a invencibilidade caseira na I Liga de futebol, ao triunfar na receção ao Sporting, por 3-1, num encontro da 12.ª jornada que abrilhantou o crescimento minhoto e atrapalhou a retoma 'leonina'.

No Estádio Cidade de Barcelos, Bozhidar Kraev abriu o ativo aos 18 minutos, mas Wendel empatou aos 45+4. Sandro Lima, numa grande penalidade convertida aos 55, e Zakaria Naidji, aos 90+9, 'selaram' a terceira vitória seguida dos barcelenses no campeonato.

Com três vitórias e quatro igualdades na condição de visitado, o Gil Vicente ascendeu provisoriamente ao sétimo lugar, com 16 pontos, enquanto o Sporting manteve a quarta posição, com 20 pontos, a 13 do líder Benfica, somando a quarta derrota na I Liga e esvaziando o 'balão' de confiança que se encheu nas últimas semanas.

Os pupilos de Jorge Silas, que trocou Yannick Bolasie por Jesé Rodríguez face à goleada imposta aos holandeses do PSV Eindhoven (4-0), dominaram a posse desde cedo, embora sem rasgos no último terço e muita passividade na reação à perda.

Com maior verticalidade, a formação de Vítor Oliveira, que chamou Arthur e Sandro Lima em relação à derrota em Braga para a Taça de Portugal (1-0), acelerava a passada através dos flancos, semeando o perigo logo aos três minutos, numa tentativa acrobática de Sandro Lima.

A pressão barcelense rendeu frutos depois do quarto de hora, quando Tiago Ilori perdeu o esférico para Sandro Lima, que fugiu pela esquerda e serviu o isolado Bozhidar Kraev, num golo que aguardou três minutos pela validação do vídeoárbitro (VAR).

Perante um Sporting sedento de criatividade, o Gil Vicente testou a meia distância de Sandro Lima (25 minutos) e Baraye (27), mas permitiu que os 'leões' recuperassem da letargia, através do remate de Wendel às malhas laterais (43) e do desperdício de Jesé na cara de Denis (45).

Apesar das poucas oportunidades, os festejos lisboetas estavam iminentes e o médio brasileiro tratou de confirmar a igualdade no quarto minuto de compensação, dando continuidade à solicitação longa de Bruno Fernandes com um remate em desequilíbrio, que ainda contou com um ligeiro toque do guarda-redes minhoto.

Sem acusar o revés sofrido antes do intervalo, os gilistas revitalizaram-se no reatamento e o recém-entrado Lourency lançou em profundidade Baraye, travado na área por Marcos Acuña, aos 53 minutos, originando um penálti concretizado pela veia goleadora de Sandro Lima.

Incomodado com a prestação ofensiva, Silas refrescou as alas com as entradas de Bolasie e de Rafael Camacho, agregando Jesé e Luiz Phellype na frente, mas os riscos não compensaram e o Gil Vicente até ampliou a diferença aos 90+9 minutos, numa jogada individual de Zakaria Naidji, que correu sem oposição até à área lisboeta, batendo o desamparado Luís Maximiano.