Portugal
Sergio Peña, o homem que falhou o Mundial por culpa do tio
2018-07-13 21:30:00
Sergio Peña esteve nos pré convocados do Peru para o Mundial, mas falhou-o por culpa do tio. Chega, agora, ao CD Tondela

Entre Tondela e Lima distam mais de nove mil quilómetros. Mais perto está Granada. Na Andaluzia. De carro, quase 800 quilómetros fazem-se em pouco mais de oito horas, cumpridos os limites de velocidade. Cerca de nove, ou mais de nove, com as paragens aconselhadas. Não consta que Sergio Peña demore tanto tempo a chegar a Tondela, localidade que a partir desta temporada passará a chamar casa. Podia vir ainda de mais longe. Não de Granada. Não de Lima, mas da Rússia. E, se tal não aconteceu, que Sergio Peña culpe o tio.

Sergio Peña Flores. Médio ofensivo. 22 anos. A partir de hoje, jogador do CD Tondela por empréstimo do Granada CF. Sergio Peña podia perfeitamente ter chegado ao clube tondelense depois de uma prestação bem sucedida na Rússia. Ou moralmente bem sucedida, vá, que apesar de encantador o Peru acabou por não conseguir ultrapassar a fase de grupos de uma competição que não visitava desde o Mundial de Espanha disputado em 1982. Com seis internacionalizações pela seleção peruana, Tondela e a liga portuguesa ficam mais ricas a partir desta temporada com a chegada de mais um jogador internacional. Na Rússia, Sergio Peña acabou por não contar qualquer internacionalização. Chegou a estar pré convocado, mas acabou por ficar fora das contas de Gareca por culpa do tio.

Paolo Guerrero. O nome diz-lhe algo? Sim, ele mesmo. A grande figura do futebol peruano atual. O capitão. O melhor marcador da história da seleção peruana. O tal. O tio de Sergio Peña. O tal que tirou o médio ofensivo do Granada, agora Tondela, do campeonato do Mundo que se disputou na Rússia. “Hoje toca-me viver o dia mais duro da minha carreira. Sinto que não fiz o suficiente para poder estar presente no melhor torneio do Mundo e representar o meu país da melhor maneira”, escreveu Sergio Peña logo após saber a notícia. Por culpa do tio, estava fora do Rússia 2018.

Em inícios de junho Ricardo Gareca teve uma dura decisão para tomar. Com a lista de convocados para o Campeonato do Mundo Rússia 2018 praticamente definida, ficou a saber que, afinal, poderia contar com a presença de Paolo Guerrero anteriormente castigado por questões relacionadas com o uso de substâncias ilegais. O processo arrastou-se durante meses, mas, por fim, a 31 de maio, a poucos dias da entrega da lista final de convocados para o Mundial, o histórico avançado de 36 anos teve mesmo autorização por parte do Supremo Tribunal da Suíça para participar na competição.

Ricardo Gareca ficou então com uma dura missão pela frente: quem retirar da convocatória para incluir Paolo Guerrero? Gareca, que até só tinha pré-eleito 24 jogadores, considerou só ter uma opção. Cortar Sergio Peña. Assim, Guerrero juntou a Farfán, Carrillo e Ruidíaz nas opções ofensivas do Peru e Sergio Peña não fez parte das opções para o meio campo peruano na competição. Hurtado, Cueva, Tapia, Polo, Cartagena, Yotun, Flores e Aquino, esses sim, acabaram por ser os escolhidos. Sergio Peña que até havia cumprido uma das suas seis internacionalizações na véspera do Mundial ao alinhar 14 minutos na vitória por 3-0 do Peru sobre a Arábia Saudita, sendo presença assídua nas convocatórias de Gareca desde outubro de 2010. É que, apesar de apenas contar seis jogos pelo seu país, Peña esteve já em 14 convocatórias da seleção do Peru.

Aos 22 anos, Sergio Peña tem muito futebol pela frente e, não volte o Peru a encetar tamanho jejum de participações em Mundiais, Peña terá muitas oportunidades para finalmente jogar um Mundial. Os próximos meses serão passados em Tondela, depois de uma temporada 2017/18 em que participou em 19 encontros da equipa do Granada que terminou a segunda liga espanhola na décima posição, competição na qual apontou um golo. Temporada na qual Peña se estreou finalmente pela equipa principal do Granada, clube ao qual chegou em 2013 oriundo do Alianza Lima, clube ao qual regressou por empréstimo em 2015, tendo-se mantido pelo país natal em 2016 ao serviço da Universidad San Martín. Pelo meio houve participações de Peña pela equipa B do Granada, onde voltou a jogar em 2016/17 para se ficar, por fim, no sul de Espanha.

Aos 22 anos, Sergio Peña chega a Portugal numa altura em que parece estar por fim a afirmar-se no futebol europeu, prometendo afirmar-se como uma das revelações da liga portuguesa na próxima temporada. E, acima de tudo, para que se possa afirmar definitivamente como Sergio Peña Flores e não como o sobrinho de Paolo Guerrero. Para que, dentro de uns anos, já não haja familiar que o retire de um campeonato do Mundo.

Participa na Liga NOS Virtual
RealFevr
Liga Bancada

Criar equipa