Portugal
Seleção Sub-19 quer "elevar o nome de Portugal", diz selecionador
2019-07-12 09:15:00
Jogadores das quinas entram com estatuto de campeões da Europa

O treinador da seleção portuguesa de futebol de sub-19 mostrou-se “orgulhoso” por orientar a equipa que vai defender o título de campeã no Europeu da categoria, na Arménia, sem esconder o “sonho” de levantar o troféu.

Filipe Ramos, em entrevista à agência Lusa, falou do primeiro adversário do grupo A, a Itália, e rejeitou fazer comparações com a seleção que triunfou na Finlândia, em 2018.

“Estamos orgulhosos, sabemos que defendemos o título, mas encaramos só a Itália, com o primeiro jogo”, frisou Filipe Ramos, apontando as diferenças entre a sua seleção e a de Hélio Sousa.

Para o treinador, são “gerações diferentes” e a comparação apenas pode estar assente em “elevar o nome de Portugal” no torneio, que decorre entre 14 e 27 de julho.

“Sim, é sempre difícil fazermos esse tipo de comparação com gerações, porque jogam [de forma] diferente também, até pelas características dos jogadores. A única coisa que pode ser comparada é a forma como vamos dignificar o nome de Portugal, como os de 99 fizeram”, argumentou.

Sobre os três adversários, Itália, Espanha e Arménia, Filipe Ramos insistiu na importância de começar com um triunfo na estreia, em 14 de julho, diante dos transalpinos.

“Expectativas são aquelas que nos propusemos neste espaço. Vamos disputar este primeiro jogo com a Itália, jogo difícil, importante, já a defrontámos, ganhámos uma vez e perdemos outra. Sabemos da qualidade da equipa deles e preparámo-nos para fazer um bom resultado”, apontou.

Ficar nos dois primeiros classificados do grupo e avançar para as meias-finais é “o objetivo” inicial da equipa ‘quinas’, mas com o “sonho” de reconquistar o título do escalão no horizonte.

“É sempre bom [estar nesta posição], pela satisfação enorme de fazermos parte da formação e termos o conquistado um torneio. Das oito seleções, todas elas, no fundo, têm esse sonho e ambição. Nós não fugimos à regra e temos mostrado qualidade durante os anos na formação”, enalteceu.

Filipe Ramos reforçou ainda que o pensamento está “no jogo a jogo” e alerta para os eventuais perigos da anfitriã Arménia.

“Vão jogar em casa, têm a expectativa até pela organização do Europeu, num grupo de quatro em que a passagem dá logo acesso às meias-finais. Vai ser difícil, é jogo a jogo e o mais importante é a Itália”, assinalou.

Sê o primeiro a comentar: