Portugal
“Se os sócios querem que o Sporting seja o novo Belenenses, fiquem com Varandas"
2019-03-13 10:00:00
José Maria Ricciardi revela intenção de se recandidatar e garante 200 milhões de euros

José Maria Ricciardi concedeu uma entrevista ao jornal Record, onde se revela muito crítico para com a direção de Frederico Varandas, acusado de não ter estratégia nem soluções para os problemas do clube de Alvalade. 

O ex-banqueiro profere uma frase forte, considerando que, se a atual direção se mantiver em funções, o Sporting vai deixar de ter condições para ombrear com FC Porto e Benfica, na luta pelo título. “Se os sócios querem que o Sporting seja o novo Belenenses, continuem com o doutor Varandas”, afirma.

Ricciardi volta a marcar uma posição pública porque, justifica, não estava enganado “sobre o que disse na campanha eleitoral" e repetiu "passado um mês”.

Entende agora que as suas palavras incómodas representavam um cenário que “está a confirmar-se”. “E nessa altura o doutor Varandas respondeu que problemas financeiros era para o lado que dormia melhor. Agora pergunto-lhe diretamente: continua a dormir bem?”, salienta.

As dificuldades de tesouraria que o clube enfrenta, aliadas a um forte investimento em janeiro, representam uma incongruência. “O clube não tem um tostão e vai gastar 10 milhões em janeiro?”, questiona, referindo-se aos reforços de inverno. 

“Um clube que não paga um único jogador para trás… Que tem prestações em atraso com o V. Guimarães, o Sp. Braga, o Racing... Só os empresários todos juntos são quase 25 milhões de euros. Um clube destes vai contratar e gastar mais de 10 milhões de euros!? Para a frente!? Quando não tem um tostão!?", questiona.

Preocupado, anuncia a intenção de se recandidatar, assegurando que, caso vença as eleições, entrarão nos cofres leoninos "200 milhões de euros", provenientes de investidores. “Com esse dinheiro proponho trazer um grande treinador, que tenho já apalavrado. E seis ou sete jogadores indiscutíveis”, promete.

A sua recandidatura “tem de ser o mais cedo possível”. Ricciardi aponta a porta de saída do atual líder, a bem ou a mal: “Se esta direção tivesse um grande sportinguismo, devia demitir-se. Se não, o presidente da AG deve provocar essa demissão”.

José Maria Ricciardi, recorde-se, foi derrotado no último ato eleitoral leonino, mas manteve-se sempre crítico relativamente à presidência de Frederico Varandas.

Sê o primeiro a comentar: