Portugal
"Se o jogador não aguenta a pressão, não tem capacidade para estar cá"
2019-11-03 14:20:00
Meyong, técnico interino do Vitória de Setúbal, no lançamento do jogo frente ao Boavista

Meyong, treinador interino do Vitória de Setúbal, assume o objetivo de melhorar o bom desempenho que a sua equipa teve quinta-feira com o Santa Clara, para vencer segunda-feira o Boavista, em jogo da 10.ª jornada da I Liga de futebol.

Apesar dos elogios recebidos após a exibição que valeu o empate (1-1) nos Açores, o sucessor de Sandro Mendes, que vai comandar a equipa pela segunda vez, manifestou, em conferência de imprensa, o desejo de fazer melhor diante dos ‘axadrezados’ no Estádio do Bonfim.

"O objetivo principal é ganhar. Com o Santa Clara fizemos tudo para o conseguir. Os jogadores corresponderam bem à estratégia que montei. Foi pena não termos ganhado. Com o Boavista, o objetivo é continuar igual e fazer tudo para ganhar. Estamos preparados para fazer um jogo muito melhor do que fizemos nos Açores", disse.

Sobre o oponente, que é o único conjunto que segue invicto no campeonato, Meyong espera encontrar uma equipa à imagem de Lito Vidigal, treinador de quem o atual líder técnico dos sadinos foi adjunto na temporada passada.

"O Boavista está à imagem do seu treinador. É um bom treinador e não preciso dizer mais nada porque aqui já todos o conhecemos. Ainda não perdeu porque defende muito bem e sabe como montar as equipas dele que são muito agressivas. Vai ser um jogo muito complicado para nós. Estamos habituados a esse tipo de jogos. Estamos a trabalhar para vermos a melhor maneira de bater o Boavista", vincou.

Confrontado com o ambiente que espera encontrar na partida no Bonfim, estádio onde os adeptos apuparam os jogadores na última partida aí realizada [0-0 com o Marítimo] e que culminou com o despedimento de Sandro Mendes do cargo de treinador, Meyong frisa que quem representa o clube tem de estar preparado para ser criticado.

"Quem vem jogar para o Vitória tem de saber que está num clube grande e tem de jogar com a pressão. Se o jogador não aguenta a pressão, não tem capacidade para estar cá. O público faz o seu papel que é exigir, enquanto o nosso é ganhar jogos. Por isso, amanhã [segunda-feira], os jogadores sabem que vão ter sempre o mesmo público exigente. Exigem porque gostam do Vitória", afirmou.

Frente ao Boavista, Meyong não pode contar com o contributo de Semedo, jogador que foi expulso diante do Santa Clara e que, admite, faz falta à equipa.

"Precisamos do Semedo. É um jogador fundamental no nosso processo defensivo, é um líder em campo e é o capitão. A equipa vai sentir a falta dele amanhã, mas temos outros jogadores aguerridos e que podem fazer a posição, por isso, não há problema porque vai alguém a fazer o seu papel", disse.

O treinador do Vitória de Setúbal considera que o médio, que foi expulso pela segunda vez esta época, tem sido "injustiçado".

"Não posso deixar de dizer que é um jogador que está a ser um pouco injustiçado. Qualquer contacto que ele tem com um jogador é sempre falta", denunciou.

O Vitória de Setúbal, que ocupa a 13.ª posição com nove pontos, e o Boavista, sexto com 15, defrontam-se na segunda-feira, às 21:00, no Estádio do Bonfim, em Setúbal.