Portugal
SAD do Aves confia na execução de correções pontuais para receber I Liga
2020-05-20 14:30:00
Clube vai aguardar por nova vistoria da Administração Regional de Saúde

A administração do Desportivo das Aves admitiu hoje que está “a poucos passos” de realizar na Vila das Aves aos jogos que restam como visitado na I Liga de futebol, dependendo da implementação de “ajustes mínimos”.

“Estudei todas as exigências da Direção-Geral da Saúde (DGS) e já estava mais ou menos à espera desta decisão. Falta mais um pouco para que o nosso estádio possa ser aprovado, mas não teremos de construir nada de raiz. Basta melhorar algumas coisas fáceis de implementar e que irão favorecer o distanciamento social, como sinaléticas ou tapetes com desinfetante à entrada. Dentro uma semana estará tudo resolvido”, explicou à agência Lusa o líder da sociedade anónima nortenha, o chinês Wei Zhao.

O Desportivo das Aves vai aguardar por nova vistoria da Administração Regional de Saúde, que “ainda não tem data confirmada”, embora “seja provável que ocorra dentro de dois a três dias”, com vista à reavaliação dos requisitos do estádio do CD Aves, alojado no terceiro e último patamar pela Liga Portuguesa de Futebol Profissional (LPFP).

Os avenses recebem o Belenenses SAD logo no primeiro jogo após o reatamento à porta fechada da competição (25.ª jornada), previsto para 04 de junho, defrontando ainda na condição de visitados o líder FC Porto (27.ª), o Moreirense (29.ª), o Vitória de Setúbal (31.ª) e o campeão nacional Benfica (33.ª e penúltima ronda).

A Liga de clubes e a Federação Portuguesa de Futebol (FPF) informaram hoje o resultado das visitas realizadas pelas autoridades regionais de saúde a 15 estádios candidatos a albergar o recomeço da I Liga, suspensa desde 12 de março, com os nortenhos na última posição, com 13 pontos em 24 jornadas, nove abaixo da zona de salvação.

O Estádio da Luz (Benfica), Estádio do Dragão (FC Porto), Estádio José Alvalade (Sporting), Estádio D. Afonso Henriques (Vitória de Guimarães), Estádio João Cardoso (Tondela), Estádio do Marítimo, Estádio Municipal de Braga, o Portimão Estádio e a Cidade do Futebol (FPF) foram aprovados pela DGS para receberem jogos de imediato.

Quanto aos estádios do Bonfim (Vitória de Setúbal), Capital do Móvel (Paços de Ferreira), Cidade de Barcelos (Gil Vicente), do Clube Desportivo das Aves, do Bessa (Boavista) e do Rio Ave, a DGS indicou “um conjunto de correções de que terão de ser alvo para que possam ser novamente vistoriados pelas autoridades de saúde”.

O Santa Clara e do Belenenses SAD já anunciaram que vão jogar na Cidade do Futebol, em Oeiras, enquanto o Famalicão vai receber os adversários em Barcelos, e o Moreirense também não vai jogar no seu estádio, sendo Guimarães a hipótese mais forte.

Após a declaração de pandemia, em 11 de março, as competições desportivas de quase todas as modalidades foram disputadas sem público, adiadas - Jogos Olímpicos Tóquio2020, Euro2020 e Copa América -, suspensas, nos casos dos campeonatos nacionais e provas internacionais, ou mesmo canceladas.

Os campeonatos de futebol de França, Países Baixos, Bélgica e Escócia foram cancelados, enquanto outros países preparam o regresso à competição, com fortes restrições, como sucede em Inglaterra, Itália, Espanha e Portugal, que tem o reinício da I Liga previsto para 04 de junho, depois de a Liga alemã ter sido retomada no sábado.

Faltam disputar 90 jogos do principal escalão do futebol nacional, o único que não foi cancelado devido ao novo coronavírus, assim como a final da Taça de Portugal, que vai opor Benfica e FC Porto.

Após 24 jornadas, os ‘dragões’ lideram a competição, com 60 pontos, mais um do que o campeão Benfica.