Portugal
Rio Ave vence por 3-1 na visita ao Belenenses
2019-04-20 17:35:00
Bruno Moreira bisou

O Rio Ave venceu hoje o Belenenses por 3-1, num jogo da 30.ª jornada da I Liga de futebol em que podia ter construído um resultado mais volumoso, frente a um adversário que não vence há seis rondas.

O ‘bis’ do avançado Bruno Moreira, aos 20 e aos 35 minutos, foi crucial para o triunfo em Lisboa, que viria a ficar assegurado já na segunda parte, aos 48, por intermédio do defesa Borevkovic, permitindo aos visitantes ascender ao oitavo lugar, agora com 38 pontos, menos dois que os ‘azuis’, que ainda reduziram por Sasso, aos 73.

Relativamente ao empate 2-2 em Chaves, na jornada passada, e estando privado de vários jogadores lesionados, casos de Nuno Coelho, Kikas, Nico Velez, Henrique Almeida e Tiago Caeiro, e do castigado Sagna, Silas trocou três atletas, optando por colocar Cleylton no eixo da defesa, Kiki Afonso no meio-campo e Keita como referência ofensiva, ao lado de Licá.

Já Daniel Ramos foi forçado a mexer no lugar de lateral esquerdo, face à expulsão do habitual titular Fábio Coentrão na última ronda, - vitória por 2-1 frente ao Vitória de Guimarães -, apostando em Afonso Figueiredo para ocupar a posição. No ataque também houve mudança, com Bruno Moreira a render Diego Lopes, que nem se sentou no banco de suplentes.

A ausência de jogadores que têm sido fundamentais ao longo da temporada e a obrigatória alteração do sistema 5x3x2 para 4x3x3 acabou por ser notória desde o início da partida, numa primeira parte em que os vila-condenses poderiam ter ido para o intervalo já com os três pontos na mão, não fosse a falta de eficácia frente ao guardião Muriel.

A insistência de Filipe Augusto, aos 20 minutos, desmoronou a frágil defesa ‘azul’, quando Gelson Dala foi mais forte que André Santos e cruzou já na linha final para o cabeceamento certeiro do avançado Bruno Moreira.

A apatia e a desinspiração do Belenenses davam ao Rio Ave confiança, poder ofensivo e os contornos de goleada só não apareceram até ao intervalo, porque Bruno Moreira foi traído pela trajetória da bola, quando recebeu, novamente, um passe do ponta da lança angolano, permitindo o corte crucial de Sasso, após um remate já ‘desastrado’.

As ocasiões sucederam-se e Bruno Moreira viria a ter o golo nos pés aos 35 minutos, perante tanta passividade do Belenenses. O livre cobrado por Nuno Santos para o segundo poste deu a Taratini a oportunidade de oferecer o tento ao avançado, que apenas se limitou a encostar para o fundo das redes.

De resto, o Belenenses pouco fez, mas, ainda assim, teve duas oportunidades para reentrar na luta pelos três pontos. Primeiro, um remate de meia distância de Cleylton assustou Léo Jardim, que defendeu com dificuldades para canto. Depois, já perto do intervalo, Keita atirou com estrondo à base do poste da baliza.

O terceiro golo que faltou no primeiro tempo para sentenciar a partida chegou logo no reinício do encontro, após novo livre de Nuno Santos para o interior da área, que Borevkovic soube aproveitar para concluir, dada tanta desatenção.

Apesar de os visitados terem conseguindo instalar-se no meio-campo adversário, o melhor que conseguiram fazer foi reduzir num lance bola parada, concluído de cabeça pelo central Sasso, perante um adversário que soube gerir a vantagem e que podia até ter goleado.

.

Sê o primeiro a comentar: