Portugal
"Quem abraça os Xistras do mundo não se pode queixar de arbitragens"
2019-12-09 11:15:00
Ex-vice do Benfica fala ainda das equipas grandes que "hoje já serão uma e meia"

Rui Gomes da Silva volta a apelar à dimensão europeia do Benfica e, na ressaca de mais um fim de semana em que os encarnados alargaram vantagens na frente, e em véspera do adeus à Champions, o ex-vice da Luz fala da necessidade de afirmação da águia na Europa, já que em Portugal lhe parece que claro que já só há "um grande e meio".

"Vencemos bem - cá dentro - contra quem tem a veleidade de disputar os jogos olhos nos olhos, como equipa grande, contra as equipas grandes que, hoje, já serão apenas... uma e meia", assinalou na crónica que partilha, nesta segunda-feira, no blogue 'Novo Geração Benfica'.

Gomes da Silva nota que os encarnados estão hoje "quase reduzidos a uma dimensão paroquial".

"Faz umas gracinhas ocasionais no mundo dos grandes do futebol europeu, de onde nos afastam opções como as que temos, hoje, no Benfica", diz.

Mas é para Luís Filipe Vieira que Gomes da Silva, que já se assumiu como candidato no próximo ato eleitoral, que chegam os ataques.

O ex-vice da Luz lembra que, no futuro, a estrutura encarnada terá de ter cuidados para criticar as arbitragens, lembrando um momento protagonizado por Vieira, na Covilhã, junto ao árbitro Carlos Xistra.

"Quem abraça os Xistras do mundo não se pode queixar de arbitragens", avisou Gomes da Silva, que criticou uma vez mais a OPA (Oferta Pública de Aquisição) lançada à SAD.

"As decisões não têm lógica, nem são perceptíveis à luz dos interesses do Benfica. Tudo parece ser - propositadamente - opaco! É isso que gera toda a discussão!", conclui.