Portugal
Pontapé na crise com os serviços necessários
Luís Santos Castelo
2018-11-11 20:30:00
O Benfica foi a Tondela vencer por 3-1 e acabou com a série de maus resultados

Nem tudo foi bom e a exibição esteve longe de ser brilhante, mas o Benfica fez mais do que o mínimo exigido para triunfar com relativa tranquilidade em casa do CD Tondela. Por momentos pensou-se que seria mais um jogo com final triste para as águias, mas, desta vez, a reação surgiu e as opções de Rui Vitória justificaram-se. O técnico encarnado tem, agora, mais oxigénio num balão que estava muito perto de se esvaziar por completo e a equipa soma três pontos na Liga mais de um mês depois.

O início da partida, contudo, levou os adeptos dos lisboetas a levarem as mãos à cabeça. Ainda nem um minuto estava decorrido quando Murillo apareceu pela direita e colocou a bola na área para Conti, que tinha a intenção de impedir que Xavier rematasse, marcou na própria baliza. O argentino foi o protagonista da pior entrada em jogo que o Benfica precisava e o CD Tondela golpeou um adversário já ferido, mas a resposta dos visitantes foi a mais eficaz possível.

Ainda antes dos 10', e num lance semelhante ao do golo do CD Tondela, André Almeida cruzou para Jonas. O brasileiro, de cabeça, desviou de Cláudio Ramos para o 1-1. A esperança era novamente real na equipa da Luz e o resultado voltava à estaca zero. A partir daí o duelo foi ganhando intensidade. Com um relvado de difícil prática, qualquer lance era disputado com confrontos físicos, o que fez com que Rafa e Cervi, por exemplo, levassem cartões amarelos com poucos minutos de diferença. As oportunidades de golo, essas, não foram muitas durante o primeiro tempo, mas o Benfica enviou uma bola ao poste aos 28', por Rafa, e logo a seguir desperdiçou mais uma boa ocasião - novamente por Rafa. O CD Tondela, ainda assim, era sempre perigoso e esteve a centímetros do golo aos 37', quando David Bruno 'destruiu' Grimaldo, serviu Murillo e este picou sobre Vlachodimos, mas Conti cortou em cima da linha de golo.

O intervalo foi bom para o Benfica, que regressou ao recinto da melhor forma e teve logo duas boas oportunidades: Cervi, de livre direto, rematou ao lado e Pizzi fez o mesmo em bola corrida e, desta vez, passou ainda mais perto do poste da baliza de Cláudio Ramos. Continuou a pressão encarnada, com o CD Tondela encostado às cordas, e tudo ficou mais fácil quando David Bruno viu dois cartões amarelos em três minutos e foi expulso, mas a equipa auriverde até teve uma excelente oportunidade aos 59'. Xavier apareceu perante Vlachodimos na conclusão de um contra-ataque e rematou para uma defesa vistosa do guarda-redes.

A boa segunda parte que o Benfica ia fazendo resultou em golo aos 63' e por intermédio de Seferovic, que havia entrado poucos minutos antes. Uma boa jogada de entendimento terminou com André Almeida a servir o suíço, que só teve de encostar e completar uma reviravolta merecida, mas que ainda não tinha assegurado nada. Prova disso foi o falhanço de Xavier aos 72'. Mais uma vez, o extremo tondelense surgiu sozinho à frente de Vlachodimos, mas desta vez atirou ao lado quando teve todo o tempo e calma para decidir da melhor maneira.

Os três pontos ficaram confirmados quando chegou o terceiro golo das águias. A 15 minutos do fim, num lance algo confuso, Pizzi fez uma assistência improvisada para Rafa e este, que já podia ter faturado antes, bateu Cláudio Ramos e ensinou Xavier. Até ao final, destaque para a expulsão de Ícaro com cartão vermelho direto, deixando o CD Tondela com apenas nove jogadores, e para o controlo do Benfica, que nunca deixou o adversário sonhar e ofereceu aos adeptos um presente que estes já não recebiam há algum tempo.

Sê o primeiro a comentar: