Portugal
"O Odysseas está na moda e eu não posso é deixar cair os outros dois"
2020-03-24 20:00:00
Fernando Ferreira analisa momento dos três guarda-redes do Benfica

Odysseas Vlachodimos, Ivan Zlobin e Mile Svilar falaram sobre o treino específico dos guarda-redes em casa, num trabalho em que o técnico Fernando Ferreira analisou as semelhanças e diferenças entre os guardiões do Benfica.

De acordo com o treinador de guarda-redes, Vlachodimos "está neste momento na moda", cabendo a Zlobin e Slivar manterem-no a... titular.

"O Odysseas está neste momento na moda e eu não posso é deixar cair os outros dois, se os deixo cair a intensidade cai e isso vai-se refletir no próprio 'Ody'. Com o Mile e o Ivan a trabalhar como trabalham, a intensidade mantém-se elevada", explicou Fernando Ferreira, em declarações à BTV.

Destacando o "enorme potencial" dos três, o técnico falou sobre cada um dos guarda-redes.

"O que me salta mais à vista no 'Ody' tem a ver com a capacidade de ser pouco emocional durante o jogo. Trabalhou três anos na Grécia e passa-lhe ao lado o ambiente dos jogos. Já o Ivan é um guarda-redes muito poderoso, muito potente. Uma das principais características dele é que tem uma boa 'pega'. Mile Svilar é muito rápido, muito explosivo e tem a coragem como uma das imagens de marca. É muito corajoso", destacou.

Com as competições paradas devido à pandemia, os três guarda-redes do Benfica vão mantendo a forma em casa, cumprindo um plano de preparação específico.

Ao falar para o canal do clube, Vlachodimos não escondeu a vontade de regressar, falando como se os treinos continuassem a ser em equipa.

"Gosto de trabalhar aqui porque os treinos são diversificados, podemos trabalhar de tudo um pouco todos os dias. É uma boa equipa, toda a gente se trata bem. É um grande clube, tem uma grande atmosfera e um excelente centro de treinos. Acho que estamos preparados para os jogos, até pela forma como treinamos. Estamos preparados para tudo", afirmou.

Zlobin, o substituto imediato do grego, revelou que grava os treinos para mostrar as imagens, para poder ser corrigido.

"Trabalhas no relvado e tens um plano, trabalhas no ginásio e tens um plano. Por vezes, pensas que abordaste bem os lances e o treinador acha o contrário. Mas depois vemos o vídeo e tiramos as dúvidas sobre quem tem razão ou não", afirmou o russo.

No último lugar da hierarquia da baliza, Svilar continua à espera de voltar a jogar pela equipa principal do Benfica, o que ainda não aconteceu esta época.

"O Benfica foi a primeira experiência longe de casa mais que um mês e meio e ao início foi estranho", lembrou o belga.

"Não conhecia a língua, mas fui recebido por alguns jogadores sérvios que já estavam no clube e que me ajudaram na comunicação. Depois de um ou dois meses tudo se tornou simples. É um clube muito completo. Tudo o que um clube grande deve ter, o Benfica tem. O Ederson fez grandes épocas aqui e está a fazer bom trabalho em Inglaterra. Isso demonstra o quão grande este clube é. Se jogares bem aqui, jogas bem em qualquer lado. Vejam o Oblak, é outro exemplo", finalizou Svilar.

Tags: