Portugal
O melhor Vitória da década à espera do Benfica
António José Oliveira
2018-12-05 18:20:00
Equipa de Lito Vidigal iguala registo de Carlos Carvalhal

É o melhor Vitória da década aquele que no sábado vai receber no Estádio do Bonfim o Benfica. Seis triunfos nos últimos oito jogos elevaram o moral da equipa liderada por Lito Vidigal que está nos oitavos de final da Taça de Portugal e ascendeu no fim de semana ao sétimo lugar do campeonato, como consequência da vitória na Madeira, diante do Marítimo, com 17 pontos, a um do Rio Ave e do Vitória de Guimarães, e a seis dos encarnados, os atuais quartos classificados da Liga. Para encontrarmos um Vitória mais produtivo do que o de Lito Vidigal é preciso recuarmos 11 temporadas, até 2007/2008, quando o clube do Sado seguia em quinto, com 18 pontos, no mesmo número de jornadas disputadas (11), sob o comando técnico de Carlos Carvalhal. 

A atual performance faz sonhar os adeptos sadinos, que muito transpiraram nas últimas épocas face ao constante sofrimento inerente às dificuldades da equipa em manter-se na liga principal. Ainda na última temporada, o Vitória só garantiu a continuidade no escalão maior do futebol português na derradeira jornada. A conjuntura desta época é bem diferente. A equipa soma 17 pontos e está nesta altura oito pontos acima da linha despromoção, mostrando uma solidez defensiva ao nível de Benfica e Sporting com somente 11 golos sofridos. Melhor só o SC Braga, o Belenenses, com 10 remates certeiros consentidos, e o FC Porto, que apenas viu Casillas ir buscar a  bola ao fundo das redes por seis ocasiões. Como consequência da solidez evidenciada, o Vitória só perdeu dois jogos dos últimos oito, precisamente diante do FC Porto, no Bonfim (0-2) e em Braga, frente aos arsenalistas (1-2).

"A minha equipa é fantástica. Mesmo com algumas contrariedades, estamos a criar um espírito fortíssimo aqui. Tenho muito orgulho de ser treinador destes jogadores. É com esta atitude que a confiança vem. Só penso que temos um futuro risonho pela frente", já dizia Lito Vidigal no final de setembro, após o empate a um golo averbado em Guimarães. Um estado de espírito sintomático que conseguiu transpor para a equipa, que denota em campo uma alegria há muito arredada do Bonfim.

O registo atacante do Vitória é expresso nos 14 golos apontados, marca que coloca os sadinos a meio da tabela neste parâmetro, muito longe dos 23 do Benfica ou dos 22 golos marcados pelo FC Porto, mas também bem distante dos seis remates certeiros do Marítimo, dos sete do Feirense ou dos oito de Boavista e Desportivo de Chaves. Mendy e Hildeberto, nesta altura uma carta fora do baralho devido à grave lesão contraída, são os expoentes máximos da capacidade atacante sadina, com três golos cada, enquanto Éber Bessa, uma das afirmações da temporada, soma dois remates certeiros, o mesmo número de Cadiz.

Sê o primeiro a comentar: