Portugal
"O FC Porto tem de fazer aquilo que o Benfica fez", explica Domingos
2020-01-20 21:40:00
Antigo avançado dos dragões analisa a realidade portista no campeonato

O FC Porto vai entrar na segunda volta do campeonato com sete pontos de atraso para o Benfica, uma distância grande, mas que Domingos Pereira não considera irrecuperável.

Como argumento, o antigo avançado que brilhou nos dragões lembrou o exemplo do ano passado, quando os encarnados recuperaram sete pontos... ao FC Porto.

"Temos o exemplo bem recente do campeonato do ano passado, o Bruno Lage assumiu e teve o cuidado de dizer que nada está decidido. O FC Porto tem de fazer aquilo que o Benfica fez o ano passado, que é recuperar sete pontos", frisou, na tertúlia da Renascença.

Com a temporada no início, em outubro, o treinador afirmava que os campeonatos são ganhos "com regularidade", antecipando que seria possível haver uma decisão em fevereiro ou março.

"Neste momento, isso aponta mais para o Benfica, da forma como tem jogado e conseguido resultados", reconheceu.

"É uma situação mais complicada para o FC Porto, mas nada é impossível", reforçou a antiga glória portista.

Na origem deste atraso estão os golos sofridos de uma forma que "não é normal" para os azuis e brancos.

"O FC Porto acaba por sofrer golos da forma como ganhou em Alvalade, ganhou de canto por Soares e agora perde em casa com um  golo de Paulinho de canto. Às vezes, o futebol tem estas situações, parece que estamos fortes na bola parada e acontece isto", explicou.

Apontando "mérito" ao SC Braga, clube que orientou durante duas épocas, Domingos elogiou a forma como os guerreiros do Minho "tirou a bola ao FC Porto", jogando "com linha bem subida" e deixando Marega "muito longe dessa linha defensiva", impossibilitando-o de procurar a profundidade.

"É muito ingrato, também, o FC Porto poder mudar a história com os dois penáltis e acaba por os falhar", complementou.

E, como antigo especialista, deixou os conselhos sobre a (boa) cobrança de uma grande penalidade.

"Temos de ter uma decisão de para onde vamos bater e não é no momento que vamos escolher, já temos uma ideia formado. O penálti do Alex Telles é muito mal marcado. Ali no meio da baliza é [preciso o remate ser] um bocado mais forte. O do Soares é bem batido, só que foram dez centímetros ao lado. Mas escolheu um lado e tentou colocar a bola", exemplificou.

O trauma do FC Porto com os penáltis deve-se, segundo o antigo avançado dos dragões, à falta de confiança da equipa.

"Quando a equipa atravessa um bom momento, um jogador sente mais confiança. Isto pode ter reflexos num momento menos bom, os jogadores podem estar a acusar essa pressão. Quando não estamos tão confiantes, a baliza parece mais pequena", finalizou Domingos.