Portugal
"Aprendemos pouco" com esta "guerra sem armas e sem facas", lamenta Ivo Vieira
2020-06-02 16:15:00
"Não devíamos ceder aos caprichos de outros", apela técnico do Vitória

O futebol está de regresso aos relvados portugueses mas a pandemia ainda não teve um fim oficial decretado. Ao mesmo tempo que o vírus vai contagiando, Ivo Vieira esperava que as pessoas fossem encarando determinadas lições de vida. Porém, o madeirense nota que não têm sido bem assim.

"Devíamos ter aprendido muito mais. Continuo a notar na sociedade que aprendemos pouco", referiu, dizendo que a pandemia devia ser um "ensinamento para a vida".

"Sem armas e sem facas criou-se uma guerra silenciosa e que tirou a vida a muita gente", acrescentou o técnico do Vitória de Guimarães.

Na conferência de imprensa de lançamento do duelo contra o Sporting, Ivo Vieira sublinhou que as pessoas deviam ser "mais humanas e amigas".

"Devíamos ser mais leais, corretos, verdadeiros, acima de tudo, e não devíamos ceder aos caprichos de outros".

Ivo Vieira entende que as pessoas deviam encarar a vida de forma séria. "Não podemos ser todos pessoas de bem", lamentou, afirmando que acredita e lutará sempre "por aquilo que quer".

"Em termos gerais, a sociedade devia olhar mais para o lado e dar a mão aos que mais necessidades têm. Todos nós somos muito egoístas. Olhamos muito para nós e pouco para os outros".

Se assim for, o treinador do Vitória de Guimarães admite ser possível viver "um pouco melhor".