Portugal
"Mustafá disse-me que Bruno de Carvalho mandou partir os carros dos jogadores"
2020-01-31 11:45:00
William explica que, posteriormente, o líder da claque negou perante um telefonema em voz alta com Bruno de Carvalho

William Carvalho explicou no seu depoimento em tribunal, no âmbito do ataque à academia do Sporting, que o líder da Juve Leo lhe chegou a ligar meses antes a dizer que Bruno de Carvalho tinha "mandado partir os carros aos jogadores".

"Houve um desentendimento entre o Rui Patrício e o presidente. Também apontou para mim e para o Rui a dizer que éramos os culpados daquilo tudo. Virou se para mim a dizer que era o culpado e eu disse que ele devia ter vergonha de dizer aquilo", contou William sobre a reunião após o jogo de Madrid contra o Atlético, numa altura em que Bruno de Carvalho partilhou um texto no 'Facebook' onde criticava o plantel e originou uma troca de comunicados entre o então presidente e os jogadores liderados pelo capitão Rui Patrício. 

William Carvalho acrescentou ainda: "O Mustafá ligou-me um dia a dizer que o presidente lhe tinha ligado a dizer para partirem os carros dos jogadores".

O médio justifica ainda que "o telefonema foi algum tempo antes da reunião pós-Madrid". "Dois a três meses. Não comentei o telefonema com os meus colegas", acrescentou William, citado pelo jornal 'O Jogo'.

O centrocampista sustenta ainda que chegou a confrontar, posteriormente, Bruno de Carvalho com este telefonema. E o então presidente quis tirar 'as coisas a limpo'.

"Quando eu o confrontei com o telefonema, o presidente [Bruno de Carvalho] saiu da sala, voltou com o telefone em alta voz e perguntou ao Mustafá se ele tinha pedido aquilo e ele disse que não".