Portugal
Laboratório do Seixal está com problemas: Benfica não marca de bola parada
Sérgio Cavaleiro
2018-11-17 20:00:00
A equipa de Rui Vitória é a única que ainda não marcou qualquer golo através de esquemas táticos

Rui Vitória tem estado no centro das atenções do universo benfiquista e não tem sido pelos melhores motivos. As críticas ao treinador do Benfica vão amontoando-se e a verdade é que algo se passa no ninho da águia. Estranhamente, o Benfica é a única equipa da Primeira Liga que ainda não marcou qualquer golo de bola parada. Aquela que foi, em tempos, uma das principais armas dos encarnados, é hoje um problema que Rui Vitória não tem conseguido resolver.

Se olharmos para a temporada transata, o Benfica, por esta altura (décima jornada), já somava oito golos de bola parada, o que correspondia a 40 por cento do total de golos marcados pela equipa comandada por Rui Vitória. É verdade que os encarnados marcaram apenas um golo a menos esta temporada. Este ano, o ataque do Benfica produziu 19 golos, contra os 20 da temporada passada.

Recuando mais um época e analisando o que se passou em 2016/17, o ano do tetra, o Benfica levava um registo de nove golos de bola parada à passagem da décima jornada da Primeira Liga. Significava cerca de 39 por cento da produção ofensiva da equipa de Rui Vitória. Estes números representam a importância que a equipa técnica do Benfica tem dado aos esquemas táticos nas últimas campanhas, algo que está a falhar na presente edição da Primeira Liga.

Nem os penáltis entram

Algo se passa, de facto, com o laboratório do Seixal. Para agravar a situação, o Benfica falhou os dois pontapés de penálti de que beneficiou esta temporada, para a Primeira Liga. Facundo Ferreyra desperdiçou a chance de faturar da marca de onze metros na jornada inaugural diante do Vitória de Guimarães, jogo que o Benfica venceu, por 3-2, e Salvio falhou a conversão do pontapé de penálti na derrota frente ao Belenenses para a oitava jornada da Primeira Liga.

Laboratório dos rivais funciona melhor

Comparando o registo do Benfica com os históricos rivais à conquista do título maior do futebol português, percebe-se que algo está mal no ninho da águia. Sporting e FC Porto marcaram, cada um, seis golos de bola parada, esta temporada. Para os leões representa 33 por cento da produção ofensiva da equipa que começou com José Peseiro e depois Tiago Fernandes. Já para Sérgio Conceição, o seis golos conseguidos de esquemas táticos representam 29 por cento dos golos já marcados.

Curiosamente, é o Santa Clara que lidera esta tabela. A equipa orientada por João Henriques já conseguiu fazer sete golos de lances de bola parada, o que representa 41 por cento da produção ofensiva do conjunto açoriano. Com seis golos através de esquemas táticos estão ainda Vitória de Guimarães (40 por cento) e SC Braga (32 por cento).

Sê o primeiro a comentar: