Portugal
Ivo Vieira, o outro engenheiro que o Estoril-Praia quer
Gomes Ferreira
2017-11-11 17:50:00
O treinador que o Estoril-Praia quer para suceder a Pedro Emanuel é tratado por 'engenheiro' pelos amigos

“Onde está um machiqueiro existe um engenheiro”. O antigo ditado madeirense faz com que os amigos mais próximos de Ivo Vieira, natural de Machico, o treinador desejado pelo Estoril-Praia para suceder a Pedro Emanuel, o tratem assim. Um cognome que fazrecordar um antigo treinador da equipa da Linha, atual selecionador nacional, Fernando Santos.

Antigo defesa central do Nacional, onde chegou a capitão, Ivo Vieira fez todo o percurso como jogador nos alvinegros e foi na Madeira que abraçou a carreira de treinador onde atingiu o ponto mais alto com a presença na final da Taça da Liga com o Marítimo frente ao Benfica, em 2015 ( perdeu 2-1) depois de ter vencido o FC Porto por 2-1 que valeu o apuramento para a final. A ida para o Estoril-Praia, a concretizar-se, será a terceira experiência do técnico no principal escalão do futebol português, depois de Nacional e Marítimo, e duas passagens pela Liga 2 (Aves e Académica, esta ainda em curso).

Dos juniores do Machico (1989 a 1993), o defesa Ivo Vieira passou para o Nacional onde esteve 11 anos ( 1993 a 2004, dos juniores aos seniores) atingindo o estatuto de capitão na equipa principal. Impôs-se pela capacidade de liderança que já demonstrava epelo respeito que incutia, não só aos mais novomas sobretudo aos brasileiros que chegavam 'bravos'. Ao serviço dos alvinegros, foi treinado entre outros por Rui Mâncio, Rodolfo Reis, Jair Picerni, Joaquim Teixeira, José Peseiro e Casemiro Mior, onde ‘bebeu’ os ensinamentos e a experiência que transpôs para o cargo de treinador.

Terminada a carreira de jogador, em 2003/04, foi nos ’alvi-negros’ que iniciou uma nova etapa na carreira, como adjunto de treinadores como Casemiro Mior, João Carlos Pereira, Manuel Machado, Carlos Brito e Jokanovic. Até que em 2008/09 passou a treinador principal dos juniores do Nacional e em 2010 e 2012 viveu a primeira experiência na I Liga ao serviço do Nacional. Em 2010/11, substitui mesmo Jokanovic na parte final do campeonato onde fez dois jogos e alcançou uma vitória. Na época seguinte assumiu o comando da equipa alvinegra (16 jogos/6 vitórias), sendo rendido por Pedro Caixinha. Seguiu-se o Marítimo B, e em 2014/15 ocupou o lugar de Leonel Pontes na equipa principal dos verderubros mantendo-se no cargo até janeiro de 2016, sendo então rendido por Nelo Vingada. Pelo meio fez uma boa época (2014/15) no Marítimo, culminada com a chegada à final da Taça da Liga, onde foi derrotado pelo Benfica de Jorge Jesus por 2-1.

Uma nova fase no percurso da carreira de Ivo Vieira iria iniciar-se, ao assumir no início da época 2016/17 pela primeira vez a liderança de uma equipa do continente, depois do percurso, quer como jogador quer como treinador, ter sido cumprido em clubes da Madeira. Foi treinar o Aves, sucedendo no cargo a Ulisses Morais. Lutou pela subida, mas acabou por sair na fase final da temporada com a equipa em segundo lugar acabando por ser José Mota a concretizar a subida.

Esta época, Ivo Vieira enfrentou novo desafio. A Académica chamou-o para lutar pela subida à I Liga  e o treinador madeirense vem cumprindo os objetivos.  Os estudantes ocupam o quinto lugar, a cinco pontos do segundo lugar, e vão numa série de três jogos consecutivos a vencer.

A contratação de Ivo Vieira é um desejo antigo do Estoril. Em 2016/17, o clube da Linha já tinha estabelecido contactos com o Aves, aquando da substituição do brasileiro Fabiano Soares, tendo a opção acabado por recair no espanhol Pedro Carmona. Agora tudo se encaminha para Ivo Vieira, o engenheiro de Machico, abraçar o terceiro projeto profissional no escalão principal depois de ter deixado lastro no Nacional e Marítimo. E a tarefa não se afigura nada fácil. Salvar o Estoril-Praia dos lugares da despromoção. Mas, e ainda segundo a tradição, os machiquenses estão habituados a desenrascar-se.

Sê o primeiro a comentar: