Portugal
"Isto da justiça, vale o que vale. O que conta é o que acontece"
2020-03-01 21:55:00
Treinador do Marítimo afirma que o resultado mais justo seria o empate

José Gomes afirmou que o empate seria o resultado mais justo face ao desempenho de Marítimo e SC Braga.

"À exceção dos primeiros 10 minutos, em que houve algum desacerto da nossa parte, a forma como saímos da pressão nos corredores laterais e isso permitiu que o Braga tivesse chegado ao golo. A partir daí, começámos a ter momentos de controlo do jogo. Houve oportunidades de parte a parte e, por tudo aquilo que aconteceu, pela forma como abraçámos o jogo na segunda parte, pela coragem que tivemos a pressionar e a tirar o Braga da zona do conforto, acho que, no mínimo, o empate seria o resultado mais justo", defendeu o técnico dos insulares.

"Mas isto da justiça, vale o que vale", acrescentou: "O que conta é o que acontece".

"Acreditamos que, da forma como estamos a trabalhar e como os jogadores se estão a entregar ao jogo, isto vai mudar, porque não há bem que sempre dure, nem mal que nunca acabe. Nem eles, nem a estrutura da equipa técnica e do departamento de futebol profissional, nem o clube, nem os adeptos mereciam este resultado. Os adeptos foram extraordinários, do princípio ao fim a apoiarem a equipa", salientou.

José Gomes admitiu que o Marítimo tem de vencer para recuperar "confiança".

"Nós temos de continuar a produzir mais para termos mais remates enquadrados, para termos mais golos. É o que falta. Fazer o jogo que fizemos hoje, contra este adversário, não está ao alcance de qualquer equipa. Não é fácil jogar contra este Braga, a mesma equipa que venceu Benfica, FC Porto e Sporting e deu uma excelente imagem nas competições europeias. Falei com o treinador do Braga, que reconheceu a dificuldade que sentiu ao defrontar o Marítimo", finalizou.