Portugal
Há três anos, Portugal sagrava-se campeão da Europa
2019-07-10 09:50:00
A lesão de Ronaldo, o golo de Éder e a festa de uma nação

A 10 de julho de 2016, em França, Portugal sagrou-se, pela primeira vez na história, campeão europeu. A página mais emblemática do futebol português foi escrita há três anos, em Paris, num jogo frente à favorita França. Um pontapé forte e colocado de Éder valeu o triunfo por 1-0 e ajudou a mudar o destino de um país 'à beira mar plantado' que, ao longo dos anos, tinha a seleção gaulesa como que 'atravessada na garganta'.

Tinha sido em 1984, assim foi no Euro'2000 e, seis anos depois, não foi diferente no Mundial da Alemanha. A França, sempre a França, a travar os sonhos lusitanos no desporto da bola.

Quando a 10 de julho de 2016, Cristiano Ronaldo e companhia pisaram o palco do 'Stade de France', na cidade Luz, carregavam com eles a esperança de milhares de corações lusitanos.

Às 20h00 daquele domingo, Mark Clattenburg apitou para o começo de um jogo que ainda hoje perdura (por certo irá perdurar) na memória. E estavam todos longe de imaginar os contornos épicos com que se iria jogar essa partida. Foi suor, foi crença e garra lusitana.

Portugal jogou qualquer coisa como 100 minutos sem a estrela da companhia. Cristiano Ronaldo saiu cedo de campo, vergado a uma lesão, naquele estádio que, naquela noite, era atacado por uma praga de insetos. A imagem de um bicho voador a pousar na cara do capitão luso, quando este estava no chão, é outra das icónicas marcas desta partida.

Depois, bem, depois foi muita luta e entrega dos portugueses perante os franceses que pareceram cair de produção atacante. Os 11 portugueses uniram-se dentro de campo porque queriam vencer mesmo sem a grande referência.

Noventa minutos não chegaram para resolver a partida e houve necessidade de se jogar um prolongamento. E foi aí que apareceu Éder. Tantas vezes criticado, tantas vezes motivo de brincadeira, coube-lhe o papel principal neste 'filme'. Quem diria!

Moutinhou ganha a bola, entrega para William que tabela com Quaresma. O 'Mustang' devolve a Moutinho que a entrega a Éder. O avançado ganhou na raça a Koscielńy e foi conduzindo a bola para o centro do terreno até ficar de frente para a baliza de Hugo Lloris e disparar para o fundo das redes gaulesas.

O golo, assumido por muitos como o mais importante do futebol português, entregou a glória a Portugal, em França, contra a França. Éder foi herói na noite em que Portugal 'apagou' as luzes da Torre Eiffel (nessa noite, ao contrário de outras durante o Euro não se iluminou com as cores da equipa vencedora). Estava escrita a página de glória do futebol português. 'C'est la vie'. Passaram três anos.

Recorde o épico jogo neste resumo.

Sê o primeiro a comentar: