Portugal
"Há todo um passado de delinquência ligado a Vieira", diz Ana Gomes
Mauro
2019-03-24 18:10:00
Eurodeputada questiona percurso do presidente do Benfica

Após algumas publicações nas redes sociais onde se colocava em defesa de Rui Pinto, Ana Gomes voltou a manifestar-se contra a extradição e detenção do pirata informático. Em entrevista ao jornal Record, publicada este domingo, a eurodeputada sublinhou que as "autoridades têm obrigação de garantir a segurança" dele. 

"É a toque de caixa da Doyen, um esquisitíssimo fundo sediado em Malta, que é um paraíso fiscal e que se sabe que tem por detrás uma organização mafiosa cazaque dos irmãos Arif envolvida em todo o tipo de negócios escuros, que a Justiça Portuguesa actua?", questinou. No entender de Ana Gomes, Rui Pinto "tem razão para temer pela sua vida" ao ser extraditado para Portugal, considerando que as pessoas como ele "fazem um trabalho extraordinariamente importante na defesa do interesse público, para o combate ao crime organizado". 

Relativamente à correspondência eletrónica do Benfica, a eurodeputada lembrou os vários processos que envolvem o emblema da Luz e questionou o percurso do líder 'encarnado', Luís Filipe Vieira. 

"O Benfica é um dos grandes do futebol, o maior do nosso país em número de adeptos e um dos mais envoltos em acusações e em alegações de envolvimento em esquemas de corrupção. Não só o clube, mas também os principais responsáveis. Temos o caso do E-Toupeira, que se concluiu com uma decisão judicial que levantou muitas suspeitas. São acusados alguns dirigentes do clube por crimes de devassa, entre outros, e de manipulação de agentes judiciais", afirmou. 

"Sabemos que o dirigente máximo do clube está referenciado em várias listas de grandes devedores do país por vários empréstimos não pagos. Há todo um passado de delinquência ligado a essa pessoa", rematou. 

Entretanto, avança o jornal Record, o Benfica e Luís Filipe Vieira vão processar a eurodeputada por "falsas declarações, calúnia e difamação".