Portugal
Nacional anula desvantagem de dois golos e empata em Guimarães
2019-05-05 22:10:00
Igualdade conquistada aos 92 minutos

O Nacional empatou hoje no terreno do Vitória de Guimarães 2-2, após ter recuperado de uma desvantagem de dois golos nos últimos 10 minutos, em partida da 32.ª jornada da I Liga portuguesa de futebol.

Os vimaranenses, que jogaram reduzidos a 10 unidades desde os 22 minutos, face à expulsão de Wakaso, estiveram na frente graças aos golos de Tozé, de penálti (11 minutos), e de Florent (78), mas os insulares reduziram num 'disparo' de longe de Diogo Coelho, aos 82, e empataram num cabeceamento de Alhassan, aos 90+2.

O Nacional, equipa com mais posse de bola ao longo do desafio (59%), ainda sonha com a manutenção - manteve o 17.º lugar, com 28 pontos, a quatro do Chaves, 15.º, com dois jogos pela frente -, enquanto o Vitória, que teve as melhores ocasiões, é sexto, com 46 pontos, a três do quinto, Moreirense.

Com os laterais Dodô e Florent, o médio Mattheus Oliveira e o avançado Alexandre Guedes de regresso ao 'onze', o Vitória dominou por inteiro os primeiros 20 minutos da partida, perante um Nacional 'encolhido', e adiantou-se por Tozé, na conversão de um penálti a sancionar falta de Nuno Campos sobre Rochinha.

Os locais estiveram perto de ampliar o resultado num livre de Mattheus Oliveira, aos 13 minutos, e num cabeceamento de Alexandre Guedes, aos 14, ambos travados pelo guardião 'alvinegro', mas tiveram de recuar quando Wakaso derrubou Kalindi à entrada da área vitoriana e foi expulso por acumulação de amarelos, aos 22.

Os madeirenses, que também surgiram em Guimarães com quatro novidades na equipa inicial - o defesa Rosic e os avançados Arabidze e Brayan Riascos -, aproveitaram a superioridade numérica para terem mais bola e atacarem mais, mas a melhor ocasião até ao intervalo pertenceu aos minhotos - Alexandre Guedes atirou por cima, após contra-ataque, ao minuto 40.

A equipa treinada por Luís Castro voltou a ameaçar o segundo golo num remate de primeira de Davidson, a abrir a segunda parte (49 minutos), antes de a formação insular se instalar novamente no meio-campo vitoriano.

Apesar do domínio territorial, os pupilos de Costinha só ameaçaram o empate em dois lances confusos na área contrária, com João Camacho, aos 53 minutos, e Alhassan, aos 67, a não conseguirem enquadrar-se com a baliza.

Os vitorianos, por seu turno, espreitaram sempre o contra-ataque e ampliaram a vantagem, num remate bem colocado de Florent, aos 78, mas o Nacional respondeu com um golo ainda mais espetacular de Diogo Coelho, remate de fora da área, e ganhou ânimo para tentar o empate nos minutos finais.

A equipa madeirense 'encostou' os vitorianos à sua baliza e empatou num cabeceamento de Alhassan, após canto da direita, aos 90+2, e até podia ter vencido, mas Brayan Riascos viu Miguel Silva negar-lhe a reviravolta, com uma defesa a um remate rasteiro, bem colocado.

 

Sê o primeiro a comentar: