Portugal
Frio de Moscovo vai ser grande obstáculo para o Benfica
2017-11-20 16:30:00
César Peixoto sabe o que é jogar na Rússia com temperaturas negativas e explicou os cuidados a ter

Apesar de, na fotografia acima, os adeptos do CSKA estarem de tronco nu a apoiar a equipa da capital russa, não se deixe enganar: em Moscovo o frio é mesmo muito e o Benfica vai sofrer com as baixas temperaturas que vão rodear os jogadores encarnados na próxima jornada da fase de grupos da Liga dos Campeões. "Depois do jogo entrámos rapidamente para o balneário para nos mantermos aquecidos, com água quente para voltar a colocar o corpo na temperatura normal", contou César Peixoto, que já foi à Rússia para visitar o CSKA, ao Bancada.

De acordo com a AccuWeather, empresa especializada em meteorologia, a temperatura em Moscovo deverá fixar-se algures entre os -1ºC e os -3ºC à hora do CSKA-Benfica, que terá início esta quarta-feira pelas 17h00 portuguesas na VEB Arena, casa dos 'militares' russos. Não estando habituado, de forma alguma, a treinar ou jogar neste tipo de ambiente, a tarefa dos campeões portugueses torna-se substancialmente mais complicada a nível físico.

César Peixoto, antigo internacional português e ex-jogador do Benfica, era atleta do FC Porto quando os dragões viajaram até Moscovo em novembro de 2004, também para a Liga dos Campeões. Com um golo de Benny McCarthy, os azuis e brancos derrubaram o CSKA e trouxeram os três pontos para Portugal. O lateral/médio recordou esse desafio, em que entrou no decorrer da segunda metade, e revelou os cuidados que a equipa portista teve para conseguir aguentar o frio da melhor forma.

"Alguns jogadores jogaram de luvas, outros com aquelas leggings desportivas vestidas. A maioria colocou vaselina na pele e também alguns bálsamos para se sentir mais confortável e quente. Eu estava no banco, entrei e joguei cerca de 30 minutos. No banco, estávamos de gorro, de luvas, com três ou quatro camisolas... Só se viam praticamente os olhos. Quando fui aquecer não retirei roupa nenhuma e quando entrei lembro-me que corria, corria e não aquecia nem me sentia cansado. Estava mesmo muito frio", disse ao Bancada.

De modo a prevenir lesões e conhecer melhor o ambiente que se vai viver no jogo, César Peixoto assegurou que uma das preparações mais importantes é levar muito a sério o típico treino que as equipas realizam no recinto no dia anterior. Peixoto, que terminou a carreira no Gil Vicente, recordou aquilo a que o FC Porto teve mais atenção em 2004/05, aquando da visita a Moscovo.

"Foi o treino de adaptação ao estádio e ao relvado, como sempre, mas também ao clima. O piso estava mais duro, também, em algumas zonas. Tínhamos de ter cuidado porque as botas não agarravam tão bem e podiam escorregar. A própria respiração também é diferente, tínhamos de a controlar melhor. Uma das coisas que nos foi referida foi que o aquecimento é importante em todos os jogos mas naquele mais ainda, para ter a certeza que os músculos estavam todos quentes para quando começasse o jogo o corpo reagir normalmente", explicou.

Apesar das dificuldades que o Benfica terá pela frente, a equipa de Rui Vitória tem em Moscovo uma boa oportunidade de conseguir pontuar pela primeira vez na atual edição da Liga dos Campeões. Quem o diz é César Peixoto, que admite que os russos estejam muito mais confortáveis com temperaturas negativas que os portugueses, mas que afirma ainda que os encarnados não devem desperdiçar a chance de vencer - ainda que não esteja a "jogar um futebol muito positivo".

"O CSKA e os seus jogadores estão mais habituados a jogar naquele clima, estão lá todos os dias a viver e a treinar. O Benfica tem um jogo muito importante e tem jogadores profissionais que têm de se adaptar a todas as adversidades. Essa é uma delas e neste jogo é importante conseguirem vencer para continuarem a ter aspirações europeias. O Benfica, independentemente do clima, tem uma boa oportunidade para vencer. Se jogar bem organizado, dando iniciativa ao CSKA para sair em transições rápidas, tem uma boa oportunidade para conseguir pontuar. Não está a jogar um futebol muito positivo mas tem vencido, e era importante vencer também na Liga dos Campeões porque não fez qualquer ponto", concluiu a antiga águia.

Sê o primeiro a comentar: