Portugal
Extradição de Rui Pinto confirmada pelas autoridades húngaras
2019-03-14 15:30:00
Juiz indeferiu o recurso apresentado pela defesa do hacker português

Um tribunal de segunda instância da Hungria indeferiu o recurso de Rui Pinto apresentado pelo colaborador do 'Football Leaks' para tentar evitar a sua extradição para Portugal, decidida na semana passada, disse hoje à agência Lusa fonte judicial.

Segundo a mesma fonte, esta decisão não é passível de recurso, o português vai ser extraditado no prazo de oito a 10 dias e o material informático que lhe foi apreendido também deve ser remetido para as autoridades lusas.

Em 05 de março, o Tribunal Metropolitano de Budapeste anunciou a extradição do português, mas Rui Pinto interpôs recurso (que teve efeito suspensivo da extradição) para uma segunda instância, que negou agora indeferiu o apelo.

Com esta decisão, Rui Pinto, que aguardou a decisão detido – estava em prisão domiciliária -, deve ser extraditado nos próximos dias a fim de ser presente às autoridades portuguesas para primeiro interrogatório judicial.

Na audiência pública, Rui Pinto pediu ao Tribunal Metropolitano de Budapeste para não ser extraditado, alegando tratar-se de "uma questão de vida ou morte", que colocava em causa a sua segurança pessoal.

 

Sê o primeiro a comentar: