Portugal
Ex-candidato ao V. Guimarães espera que demissão não "seja manobra de diversão"
2019-05-30 15:25:00
Comunicado de Vieira de Castro e dos elementos que concorreram na sua lista ao último ato eleitoral no clube

Candidato derrotado por Júlio Mendes nas eleições de março de 2018 no Vitória de Guimarães, Júlio Vieira de Castro espera que o pedido de demissão em bloco da administração vimaranense não seja uma "manobra de diversão".

Através de um comunicado, Vieira de Castro recomenda "moderação e serenidade" neste momento delicado na vida do clube.

Ainda assim, Vieira de Castro e os elementos que integraram a sua lista entendem que, depois de consultarem o pedido de demisão de Júlio Mendes, gostariam que o presidente demissionário pudesse "demonstrar tamanha vitalidade e agressividade na defesa do clube perante outras instituições e não somente contra os seus próprios consócios".

Júlio Vieira de Castro reitera que o projeto de oposição a Júlio Mendes era guiado por "um amor desmedido e um desprendimento pessoal em prol dos interesses do clube, sem politiquices ou agendas escondidas".

Com o pedido de demissão da direção de Júlio Mendes, Júlio Vieira de Castro e os elementos que integravam a sua lista dizem que ocorreu a "comprovação da falta de sentido vitoriano que a direção não tem cessado de demonstrar, insultando parte significativa dos sócios vitorianos unicamente por pensarem diferentemente".

"Se existem culpados pelo clima de instabilidade criado, eles estão bem à vista para o olhar sério e imparcial. Nunca, em momento algum, os signatários arregimentaram vitorianos, como surge implícito em todo aquele argumentário desprovido de qualquer lógica quanto mais apego à verdade dos factos, para contestarem a direção demissionária", revela Vieira de Castro no comunicado tornado público.

O ex-candidato diz ser "calunioso, injurioso e ultrajante que alguém ouse sugerir que existem sócios do Vitória que, indisfarçavelmente, desejam o fracasso do clube".

Vieira de Castro acusa ainda Júlio Mendes de "irresponsabilidade" ao "abandonar o barco após apenas um ano de mandato e hipotecando seriamente as expectativas do Vitória para a próxima época, sabe-se lá por que motivo."

A finalizar o documento, o ex-candidato diz que, em Guimarães, é agora tempo de "união e esperança". 

Participa na Liga NOS Virtual
RealFevr
Liga Bancada

Criar equipa