Portugal
"É absolutamente falso que algum árbitro tenha sido incomodado por nós"
2019-04-22 12:25:00
Críticas e César Boaventura e apelos ao "bom senso"

Os Super Dragões emitiram um comunicado, nesta segunda-feira, onde negam a existência de mensagens trocadas por elementos seus com prévio conhecimento das nomeações dos árbitros. Os 'Super' entendem que "está montada uma estratégia para descredibilizar e fragilizar o Conselho de Arbitragem (CA), com o objetivo de fazer 'cair' Fontelas Gomes e restante elenco".

Por isso, a claque azul e branca assume ser "absolutamente falso que alguém informe os Super Dragões sobre os hotéis onde os árbitros ficam hospedados".

"É absolutamente falso que algum árbitro tenha sido incomodado por algum elemento da nossa claque. Aliás, na famigerada "invasão à Maia", da qual continuamos a desconhecer qualquer queixa, investigação, identificação ou acusação, é bom não esquecer que no próprio dia dos alegados factos, o líder Fernando Madureira falou aos órgãos de comunicação social junto ao centro de treinos da Maia, numa demonstração clara de boa fé e de que qualquer ato menos correcto jamais seria tolerado pela claque".

Os Super Dragões revelam ainda que "por muito que queiram dizer o contrário, nunca nenhum elemento dos Super Dragões ou outro portista, foi julgado pela prática de crimes de ameaça ou coação a árbitros e suas famílias".

No comunicado, a claque afeta ao emblema nortenho deixa reparos aos adeptos do Benfica. "Pelo contrário, vários adeptos do slb foram condenados por perseguir e ameaçar o árbitro Jorge Sousa e a sua família, um adepto benfiquista foi julgado e condenado por agressão a Pedro Proença no CC Colombo, e todos assistimos à invasão de campo do famoso "Diabo de Gaia" que agrediu um árbitro auxiliar."

Os Super Dragões salientam ainda que "esta é a verdade dos factos e não a realidade alternativa que alguns procuram criar". "Uma realidade baseada na deturpação, mentira, calúnia e essencialmente cobardia".

No comunicado assinado pela direção dos Super Dragões, estes criticam a "cobardia de alguém que se apresenta ao Mundo como um justiceiro ou "Zé do Telhado" mas que, como já referido, não concretiza uma única afirmação".

A claque portista refere ainda que César Boaventura está "desesperado" e sujeita-se "a tudo para sobreviver". "Alguém sem domicílio próprio, sem viatura particular para poder circular, sem licença para trabalhar, com queixas registadas contra si pelos próprios familiares, alguém sem honra nem palavra."

Oo grupo organizado de adeptos azuis e brancos termina com um apelo ao "bom senso de todos". "Faltam quatro jornadas para o final do campeonato, para alguns parece valer tudo, mas para nós, a única coisa que interessa, é ganhar as cinco partidas que faltam e que nos podem valer dois títulos. É tão simplesmente isso que temos em mente!"

Sê o primeiro a comentar: