Portugal
Dragões nunca sobreviveram a derrota por mais de um golo
2019-04-15 09:15:00
Portistas procuram a felicidade na quarta-feira em jogo da segunda mão dos quartos de final da prova milionária

 O FC Porto jamais ultrapassou uma eliminatória das taças europeias de futebol depois de perder a primeira mão por mais de um golo, ‘maldição’ que vai tentar inverter na quinta-feira, à 15.º tentativa.

Em 14 vezes que abriram duelos a duas mãos com desaires por dois ou mais tentos, em casa ou fora, os ‘dragões’ acabaram sempre por cair, sendo este um cenário com o qual se deparam pela quarta época consecutiva.

Na terça-feira, em Liverpool, os comandados por Sérgio Conceição perderam por 2-0, por culpa de tentos na primeira parte de Keita e Roberto Firmino, em embate da primeira mão dos quartos de final da Liga dos Campeões.

O cenário é, assim, adverso, mas bem melhor do que o da temporada transata, face ao mesmo conjunto, nos oitavos de final: então, os ‘reds’ resolveram no Dragão, com uma goleada por 5-0, selada por Mané (três golos), Salah e Firmino.

Na segunda mão, em Anfield Road, registou-se um empate sem golos, com os ingleses sempre a controlar.

Em 2016/17, o FC Porto também começou os ‘oitavos’ em casa, perante a Juventus, e perdeu por 2-0, face aos tentos de ‘rajada’ de Pjaca e Dani Alves, na segunda parte, depois da prematura expulsão de Alex Telles, aos 27 minutos.

Em Turim, os ‘dragões’ não conseguiram inverter a eliminatória, somando nova derrota, agora por 1-0, num jogo resolvido pelo argentino Dybala, aos 42 minutos, de penálti, cometido por Maxi Pereira, que viu o vermelho direto.

Na época anterior, o FC Porto só foi terceiro no seu grupo da ‘Champions’ e caiu para a Liga Europa, prova em que não passou dos 16 avos de final, afastado pelo Borussia Dortmund, que, na primeira mão, venceu em casa por 2-0.

Piszczek e Reus, dois jogadores que continuam no conjunto germânico, selaram o desaire dos ‘dragões’, que, em casa, voltaram a perder, por 1-0, obra de um autogolo do guarda-redes espanhol Iker Casillas, aos 23 minutos.

Antes deste ciclo, o conjunto portuense já não tinha conseguido dar a volta a dois ou mais golos de desvantagem em 11 ocasiões, quatro delas pelo 0-2 que agora enfrenta, face a Nantes (1971/72), Hamburgo (1975/76), Standard Liège (1981/82) e FC Barcelona (1985/86).

Frente aos gauleses, empatou 1-1 fora depois de perder no seu reduto, com os alemães ganhou em casa na segunda mão por insuficientes 2-1 e, perante os belgas, não conseguiu melhor do que um empate a dois, também nas Antas.

Em 1985/86, os portistas empataram a eliminatória e ‘ameaçaram’ dar a volta ao FC Barcelona, mas os três golos do brasileiro Juary não foram suficientes, devido ao apontado pelo escocês Steve Archibald, num ‘amargo’ 3-1.

As outras equipas que afastaram o FC Porto após triunfos na primeira mão por dois ou mais golos foram Hannover (1965/66), Hibernian (67/68), AEK Atenas (78/9), Anderlecht (82/83), PSV Eindhoven (88/89), Tottenham (91/92) e Manchester United (96/97).

De resto, na lógica dos números, o FC Porto qualifica-se quarta-feira para as meias-finais da Liga dos Campeões em futebol se repetir, na receção ao Liverpool, três dos 19 resultados que conseguiu na receção a conjuntos ingleses, sendo que um quarto forçaria o prolongamento.

O 4-1 ao Wolverhampton, em 1974/75, o 4-0 ao Manchester United, em 1977/78, e o mais recente 5-0 ao Leicester, em 2016/17, qualificariam agora os ‘dragões’, que, na terça-feira, perderam por 2-0 em Anfield Road, culpa de Keita e Firmino.

Caso replicasse o 2-0 ao Arsenal, em 2008/09, então o encontro decidir-se-ia num prolongamento, o que nunca sucedeu numa eliminatória entre o FC Porto e um clube inglês.

O primeiro resultado que agora serve aos ‘dragões’ aconteceu em 18 de setembro de 1974, dia em que, nas Antas, a equipa da casa venceu o Wolverhampton por 4-1, em encontro da primeira mão da primeira eliminatória da Taça UEFA de 1974/75.

Os comandados do brasileiro Aimoiré Moreira chegaram ao intervalo a vencer por 3-0, com um autogolo de John McAlle, logo aos três minutos, um tento do peruano Teófilo Cubillas, aos 37, e outro do brasileiro Flávio Fonseca, aos 41.

Na segunda metade, os ingleses ainda reduziram, por Mike Bailey, aos 63 minutos, mas, pouco depois, aos 69, Fernando Gomes recolocou a diferença em três golos. Em Inglaterra, o FC Porto perderia por ‘suficientes’ 3-1.

Três anos volvidos, na segunda ronda da Taça das Taças de 1977/78, o FC Porto conseguiu a sua mais emblemática vitória face a ingleses, ao ‘cilindrar’ nas Antas o Manchester United por quatro golos sem resposta.

O brasileiro José Leandro, vulgo Duda, foi a grande figura do ‘onze’ comandado por José Maria Pedroto, ao conseguir um ‘hat-trick’, com golos aos sete, 26 e 52 minutos, tendo António Oliveira fechado a goleada, aos 59.

Na segunda mão, em Old Trafford, os ‘dragões’ sofreram cinco golos, mas seguiram em frente, graças a um ‘bis’ de Seninho, que faturou aos 29 e 85 minutos.

Depois destes dois resultados, o FC Porto só logrou mais um triunfo caseiro com ingleses que viraria na quarta-feira o 0-2 de Anfield Road, quando, há duas épocas, goleou em casa o Leicester, surpreendente campeão inglês em 2015/16, por 5-0.

Os ‘dragões’ aproveitaram o facto de os ‘foxes’ já nada terem em jogo – haviam assegurado o triunfo no Grupo G, com quatro triunfos e um empate – para conseguirem a sua maior goleada face a conjuntos ingleses.

Em 07 de dezembro de 2016, André Silva, aos seis e 64 minutos, o segundo de penálti, o mexicano Corona, aos 26, o argelino Brahimi, aos 44, e Diogo Jota, aos 77, ‘castigaram’ um Leicester que se apresentou no Dragão com as ‘reservas’.

O 2-0 ao Arsenal, em 2008/09, que ‘atirava’ a eliminatória para 30 minutos extra, aconteceu também na sexta e última jornada da fase de grupos da ‘Champions’, mas então estava em jogo o primeiro posto do agrupamento.

Os ‘azuis e brancos’ partiram dois pontos atrás dos ‘gunners’, mas acabaram por conquistar o Grupo G, por um ponto, graças aos golos do central Bruno Alves, aos 39 minutos, e do avançado argentino Lisandro Lopez, aos 54.

Além destes quatro resultados, o FC Porto soma ainda mais outros tantos triunfos na receção a ingleses, para um total de oito, todos por 2-1, que agora não serviam, face a Manchester United (2003/04), Chelsea (04/05 e 15/16) e Arsenal (09/10).

Os ‘dragões’ contam ainda sete empates e quatro derrotas, a última na época passada, por 5-0, precisamente na receção ao Liverpool, que volta na quarta-feira.

Sê o primeiro a comentar: