Portugal
“Dói bastante ver adeptos a pedir para ficar”, afirma Bruno Fernandes
2019-05-28 12:25:00
Jogador que diz que tem “sonhos por concretizar”, aponta ao campeonato inglês, mas lembra que é "feliz" de leão ao peito

Em entrevista concedida à SIC nesta terça-feira, no programa das manhãs, Bruno Fernandes levantou o véu sobre o seu futuro e deixou a ideia de que, apesar de se sentir realizado em Portugal, tem objetivos que pretende atingir.

O médio confirmou que o futuro está em aberto, falou em “escolha difícil” e escudou-se num tradicional desconhecimento sobre uma eventual saída. “Sinto-me em casa, estou no meu país. Mas há sonhos por concretizar na minha cabeça”, referiu.

Há um ano, enquanto assinava autógrafos, Bruno Fernandes ouviu adeptos suplicarem pelo regresso ao Sporting, quando rescindiu contrato. No Jamor, voltou a passar por uma experiência idêntica.

“Dói bastante, na final da Taça, subir as escadas do Jamor e ver adeptos a pedir para ficar. Pessoas a chorar de alegria, a dizerem ‘fica’. E eu sem saber o futuro”, afirmou.

“A ligação ao Sporting é muito forte, principalmente depois dos acontecimentos [ataque a Alcochete] e de regressar. A maneira como fui recebido significou muito. É normal que as pessoas fiquem sentidas com uma pessoa que rescinde contrato com um clube de coração de milhares de adeptos. Mas a paixão que as pessoas me demonstraram é muito gratificante. Tentei retribuir isso ao máximo”, salientou ainda.

A questão financeira não será a mais relevante, quando colocar em cima da mesa uma eventural saída. Até porque mesmo que fique no Sporting terá rendimentos elevados, segundo o próprio admite.

“Ficando ou saindo, vou sempre ganhar muito”, referiu, destacando que o futuro é uma incógnita.

Pretendido pelo Manchester City, segundo avança a imprensa inglesa, Bruno Fernandes talvez visse com bons olhos essa solução, até porque o campeonato que mais o cativa “é o inglês”. Mas outros valores se levantam.

"A minha família tem de se sentir bem. Não faz sentido eu ir para um sítio onde a minha família não se sente bem", explica.

Acresce que um futebolista tem carreira curta e “as questões financeiras pesam sempre”, na hora de reagir a uma proposta.

O médio goleador poderá estar de saída de Alvalade, em resultado da excecional temporada que rubricou e, por outro lado, como estratégia da recuperação económica do Sporting, que tem em Bruno Fernandes o seu principal ativo, no que ao plantel diz respeito.

Sê o primeiro a comentar: